Comerciantes terão auxílio de 1,5 mil a partir de abril

Comércio está fechado e apenas os essenciais são autorizados a abrirem
Comércio está fechado e apenas os essenciais são autorizados a abrirem - FOTO: Emanuel Aquilera

Em reunião na noite da última segunda-feira (29/03) com representantes das entidades do comércio e serviços, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico anunciou uma ajuda financeira para Micro Empresas (MEs) e Empresas de Pequeno Porte (EPPs) a partir do próximo mês. A medida atende uma reivindicação da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) de apoio ao setor empresarial neste momento de restrições críticas no funcionamento de comércio e serviços.

O auxílio-financeiro, conforme anunciado pela Secretaria Municipal, terá o valor de até R$ 1.500,00/mês por empresa, de acordo com o número de funcionários. Inicialmente, serão duas parcelas de auxílio, nos meses de abril e maio, com o primeiro pagamento até o dia 15 de abril.

"Essa proposta será enviada à Câmara Municipal para aprovação, mas ela é muito importante, principalmente, porque é um aporte financeiro a fundo perdido, ou seja, não precisará ser devolvido pelas empresas. Entendemos que o valor não é o necessário e desejado pela maioria, pois o que todo mundo gostaria era de poder vender. Porém, é um auxílio que chega da Prefeitura num momento de grandes dificuldades e que pode ajudar de alguma forma na manutenção dos empregos", avalia o vice-presidente Roberto Assi, que representou a ACMC na reunião com o Comitê Municipal de Retomada Econômica.

A expectativa era a de que o projeto desse entrada ontem no legislativo e fosse colocado em discussão ainda na sessão ordinária, mas o fato acabou não ocorrendo. Agora existe a possibilidade do projeto do Executivo ser colocado em discussão na sessão desta quarta-feira na Câmara de Mogi. Os vereadores, se entenderem que o assunto merece urgência poderão colocar o projeto em discussão já para ser votado em vez de acompanhar o andamento normal de um projeto que passa por várias comissões até chegar à votação em plenário.

A expectativa é de que nos próximos dias sejam anunciados os canais de cadastramento para as empresas que terão direito ao auxílio. A princípio, entre as exigências estará a necessidade de comprovação de que a empresa está ativa e que possui funcionários.

"Apresentamos algumas sugestões para facilitar esse cadastramento e viabilizar que o auxílio possa chegar ao maior número de empresas. Também foi confirmado pela Prefeitura que esse benefício não restringe a adesão das empresas a eventuais outros programas estadual e federal que venham a ser lançados para ajudar na retomada", diz o vice-presidente da ACMC. "Insistimos ainda em alternativas de apoio para empresas que não possuem funcionários", conclui.

O governador do Estado João Dória estendeu a quarentena até abril em razão do aumento dos novos casos de coronavírus e internações e a gravidade gerada com a pandemia com a falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e até de medicamentos. E recomendou que as cidades também aderissem à medida para reduzir a circulação de pessoas nas ruas com o fechamento de comércios considerados não essenciais.