Reformas das 3 estações estão sem previsão

Estação de trem central de Mogi está no pacote
Estação de trem central de Mogi está no pacote - FOTO: Emanuel Aquilera

A demanda pela revitalização das estações ferroviárias da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) em Mogi das Cruzes e outros municípios da região do Alto Tietê teve uma interrupção em seu andamento por parte das autoridades. Os motivos são o agravamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a falta de interesse da iniciativa privada em investir no projeto.

A reportagem entrou em contato com a equipe do deputado federal Marco Bertaiolli (PSD-SP), um dos grandes defensores da revitalização das estações em Mogi das Cruzes e Itaquaquecetuba - onde iniciou um abaixo-assinado junto à comunidade pedindo ao governo estadual a reforma das estações Aracaré e Engenheiro Manoel Feio.

O deputado Bertaiolli, que assumiu recentemente a vice-presidência da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados em Brasília, informou que o andamento das agendas com o secretário de Estado de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, foi suspensa temporariamente em virtude das medidas de distanciamento social por conta da pandemia. "É prudente neste momento discutir outras questões mais urgentes, voltadas à saúde", informou o parlamentar.

Questionado pelo Grupo MogiNews/DAT, o presidente da Câmara de Mogi das Cruzes, Otto Rezende (PSD), informou que também vem acompanhando o caso, mas em função da segunda onda da covid, as conversas estão suspensas. A CPTM abriu licitação, mas nenhuma empresa teve interesse. A licitação contempla as estações de Mogi, Estudantes e Jundiapeba e não inclui Braz Cubas que terá projeto à parte.