Festival prestará apoio a profissionais

O Festival Cultura em Casa Mogi terá início a partir de amanhã, uma ação da Secretaria Municipal de Cultura, que tem por objetivo prestar apoio aos artistas da cidade e, ao mesmo tempo, fomentar e dar visibilidade à cultura local. Serão 42 atividades e mais de 100 artistas contemplados, a partir de contratação direta.

O festival vai se estender até o dia 25 de abril e contemplar segmentos como dança, música, cinema, literatura, arte-educação, ações formativas, mostras e saraus. Confira a programação completa por meio do site http://www.cultura.pmmc.com.br/

A secretária municipal de Cultura, Kelen Chacon, explicou que o festival foi uma alternativa adotada pela Pasta, com o intuito de promover uma ação de apoio imediata aos artistas da cidade. A Secretaria se baseou em dispositivos legais já estabelecidos e que permitem a contratação direta de artistas, por tratar-se de um instrumento mais veloz do que editais de chamamento, por exemplo. A Secretaria também vai lançar editais, porém a previsão é que isso aconteça no mês de maio, em função da tramitação que é necessária a todo tipo de edital a ser lançado.

Os artistas foram selecionados com base em uma série de critérios. Um deles foi a relação de demandas apresentadas durante o primeiro ciclo de encontros do programa Diálogo Aberto, realizada entre fevereiro e março deste ano. Foram 22 encontros no total, ao longo dos quais públicos e segmentos específicos fizeram suas manifestações, fornecendo assim elementos à Secretaria de Cultura, para a identificação do que a sociedade civil e a classe artística mais necessitam neste momento.

Após a identificação das principais demandas e, portanto, dos segmentos a serem atendidos nesta primeira ação, a Secretaria de Cultura passou a pesquisar, junto ao cadastro municipal, profissionais que atendessem a esse universo e estivessem em condições de serem contratados pelo município. Importante lembrar que, por força de lei, não é possível repassar recursos públicos a pessoas que estejam em situação de inadimplência.

Também foram levados em consideração critérios como descentralização e baixo ou não atendimento prévio em outros programas e ferramentas de apoio. Isto é, foi dada prioridade a artistas que, por ventura, ainda não foram contemplados em ações como Programa de Fomento à Arte e Cultura (Profac) e Lei Aldir Blanc. O objetivo, como também explicou a secretária Kelen Chacon, foi dar oportunidade a todos e fazer a seleção da forma mais igualitária possível.

Outro critério fundamental para a seleção foi a identificação daqueles que dependem exclusivamente de sua arte como forma de sobrevivência e estão, em função da pandemia, impedidos de trabalhar. "Se é uma ação emergencial, precisa emergencialmente atender quem vive de arte e cultura e não tem outro contrato formal. Este foi um critério muito claro, estabelecido desde o início, com o intuito de atender especialmente quem está mais fragilizado neste momento".

O festival será inteiramente realizado de forma online. Todas as atrações serão transmitidas pelas páginas da Cultura Mogi no Facebook e Youtube, via plataforma de transmissão StreamYard. O meio escolhido atende às restrições sanitárias no enfrentamento à pandemia da Covid-19 e reforça a mensagem de que as pessoas precisam estar unidas, porém em casa.

Mais informações sobre o Festival Cultura em Casa Mogi podem ser obtidas por meio dos telefones
4798-6900/6902/6903, pelo Whatsapp (11) 96567-0933 ou pelo e-mail [email protected]