Mogi avalia medidas e prorroga Fase Crítica até próximo dia 11

A Prefeitura de Mogi das Cruzes divulgou no final da tarde de ontem o resultado da avaliação das medidas tomadas pelo município durante a Fase Crítica de restrição ao comércio e circulação, tomadas há cerca de dez dias. Segundo a administração municipal, os indicadores na Saúde foram a justificativa para a prorrogação do decreto municipal.

O anúncio foi confirmado pela Prefeitura de Mogi e as medidas de distanciamento social e fiscalização contra aglomerações passarão pelo novo ciclo que começa hoje e vai até o dia 11 de abril. O Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio) chegou a divulgar em sua página nas redes sociais a informação de que foi comunicada sobre a criação do novo decreto municipal, com validade a partir de hoje.

A avaliação vem depois do anúncio do prefeito Caio Cunha (Pode) e do secretário de Saúde do município, Henrique Naufel, que há dez dias divulgaram à imprensa as novas medidas tomadas pelo município para conter a disseminação do coronavírus, com maior rigidez e fiscalização do movimento de pessoas nas ruas.

Nas áreas do comércio e da prestação de serviços foram aplicadas novas proibições para o funcionamento do comércio não-essencial e, inclusive, para o comércio essencial, no qual mercados e padarias passaram a encerrar atividades às 20 horas, com maior espaçamento entre clientes. Para a circulação de pessoas, o toque de recolher foi estendido para o período integral, sendo que antes era das 20 às 5 horas do dia seguinte.

Na avaliação da Prefeitura, os índices epidemiológicos apresentaram pequena melhora durante a aplicação da fase de restrições, mas ainda abaixo do necessário. "No entanto, o levantamento permitiu fortalecer ações de auxílio à população, como o encaminhamento dos projetos de lei em regime de urgência enviados à Câmara (leia mais nesta edição) e o desenvolvimento de mecanismos para agilizar o processo de vacinação", informou em nota.

A Secretaria Municipal da Saúde reiterou que, conforme dados do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), entre os dias 25 e 30 de março foram registrados 119 novos casos (alta de 0,58%), enquanto que Itaquaquecetuba teve aumento de 1.893 casos (21,20%) e Suzano de 473 novas infecções (3,70%).

A municipalidade também informou que ontem foi o 20º dia consecutivo de lotação total dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mesmo com o aumento contínuo da oferta de leitos tanto na rede municipal quanto no Hospital Estadual Dr. Arnaldo Pezzuti Cavalcanti, localizado no distrito de Jundiapeba.

Outro ponto registrado pelas autoridades da Saúde foi a composição de pacientes locais e de outros municípios: enquanto que em fevereiro dois em cada três pacientes (66%) eram de Mogi das Cruzes, em março este índice baixou para 57%, próximo da paridade entre os dois grupos.