Pandemia cancela Festa do Divino novamente

A edição deste ano da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi Cruzes foi oficialmente cancelada em decorrência da crescente contaminação pela Covid-19 na cidade. Os organizadores informaram ontem que mesmo após diversas tentativas de encontrar um caminho seguro para que o evento pudesse acontecer neste ano, a quermesse e todas as ações que gerem público na Festa do Divino foram canceladas para evitar possíveis riscos de contaminação pela doença.

"Sabemos da importância dos resultados financeiros da Festa do Divino para as entidades parceiras, ainda mais neste momento tão delicado que vivemos, mas, acima de tudo, há de se preservar a vida e a segurança dos devotos e voluntários", afirmou a organização da Festa do Divino.

O festeiro Mauro de Assis Margarido, explicou ainda ontem, que todas as entidades que participam da comemoração anual em Mogi foram unânimes em concordar com o cancelamento. "Todos estiveram de acordo que, neste momento, vidas estão em risco e uma festa deste tamanho, mesmo sendo reduzida ao máximo, ainda causaria muita aglomeração, podendo aumentar os casos e mortes da Covid-19", enfatizou.

No ano retrasado, a Entrada dos Palmitos, atração mais esperada pelos devotos que comemoram a Festa do Divino, reuniu 40 mil pessoas que participaram da procissão pelas ruas de Mogi. Apesar da comemoração ter sido cancelada em mais um ano, a religiosidade dos católicos deve ser mantida.

Em breve, toda a programação religiosa, bem como o cronograma de visitas aos bairros, com a 'Caravana do Divino', que ocorrerá três ou quatro vezes por semana, das 18 às 20 horas, serão divulgados. Nesta Caravana, a organização recebe doações de alimentos não perecíveis que são doados às famílias em estado de vulnerabilidade social.

Em Mogi das Cruzes, a Festa do Divino Espírito Santo é a maior expressão de fé e devoção dos fiéis a sua tradição, no ano passado a comemoração completou 407 anos. Anualmente a festa carrega uma expressiva participação popular em eventos exclusivos como o Império do Divino, Entrada dos Palmitos, Alvorada e a Procissão de Pentecostes, uma maneira de tornar a fé pública.