Custo médio diário de um leito de UTI é de R$ 3 mil

Alta demanda pode elevar preço do leito para R$ 7 mil
Alta demanda pode elevar preço do leito para R$ 7 mil - FOTO: Divulgação

O custo médio diário de um leito Covid em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pode chegar até a R$ 3 mil em Mogi das Cruzes. Conforme comunicou a Prefeitura, existe grande variação nos preços pois há leitos financiados pelos governos federal, estadual e municipal. Com custo menor, porém presente em maior volume na cidade, os leitos de Enfermaria chegam a custar menos da metade. Com a alta demanda, os preços diários variam e podem alcançar até o dobro do valor normal.

Com 103 leitos de UTI e 162 de Enfermaria na rede pública, Mogi oferta a mais ampla infraestrutura de Saúde do Alto Tietê, atendendo diversos municípios vizinhos. A luta contra o coronavírus, no entanto, custa caro. Do ponto de vista financeiro, cada leito de UTI tem um custo médio estimado entre R$ 2,5 mil a R$ 3 mil. Já o custo médio de um leito de Enfermaria é de R$ 1,4 mil. 

O alívio vem por meio de parcerias entre as entidades administrativas, conforme explicou a Prefeitura mogiana. "Quando existem parcerias com o governo de São Paulo, por exemplo, o Estado paga R$ 1,4 mil por leito - ou seja, menos da metade do custo. A outra metade compete ao município. Em Mogi, há leitos nessa configuração na Santa Casa e no Hospital Municipal", detalhou.

O preço, no entanto, varia conforme a demanda. Enfrentando por três semanas uma ocupação de 100% dos leitos, a gestão municipal informou que o custeio dos leitos de UTI do Hospital Municipal teve um significativo aumento. "Hoje, o custo de um leito praticamente chegou a
R$ 7 mil. Esses recursos saem do caixa da Prefeitura, o que mostra como o município está pagando caro por leitos na pandemia", lamentou a Prefeitura. (L.K.)

Deixe uma resposta

Comentários