Vereadores propõem redução do salário durante pandemia

Para Iduigues Martins, é o momento dos
parlamentares fazerem um sacrifício
Para Iduigues Martins, é o momento dos parlamentares fazerem um sacrifício - FOTO: Fotos: Diego Barbieri/CMMC

Os vereadores mogianos Inês Paz (Psol) e Iduigues Martins (PT) e protocolaram ontem um projeto de Decreto Legislativo junto à Câmara de Vereadores propondo a redução dos salários dos parlamentares no período da pandemia do coronavírus. A resolução pretende criar recursos financeiros por meio de um fundo para iniciativas emergenciais de combate à miséria no município

O projeto de Decreto Legislativo 06/2021, segundo os autores, tem como principal meta colocar o parlamento municipal dentro dos esforços para garantir a segurança alimentar e o bem-estar de homens e mulheres que perderam seu emprego e seu sustento devido à pandemia. "Esta é uma questão clara: é para contribuir com a nossa parte na pandemia. Acompanhamos desde o ano passado debates semelhantes tanto na Assembleia Legislativa do Estado quanto em câmaras municipais de diversas cidades que adotaram esta estratégia", apresentou a vereadora.

Iduigues Martins, por sua vez, apelou à coerência do Poder Legislativo em relação aos sacrifícios feitos com a pandemia. "Pedimos sacrifícios a todos os setores da sociedade, e diariamente vemos o agravamento da situação econômica e social no nosso país e na nossa região. Temos iniciativas pessoais desenvolvidas, que são louváveis e honestas, mas não podemos abrir mão do papel institucional que o município tem que tomar. É preciso que busquemos ajudar com o envio de cestas básicas para quem tem fome, que possamos viabilizar o auxílio emergencial e que busquemos economizar para bancar todas estas iniciativas", declarou o parlamentar.

O projeto será encaminhado à Procuradoria Jurídica da Casa e às comissões permanentes para análise.

Segurança

O tema da segurança pública em Mogi das Cruzes, iniciado na sessão de anteontem, voltou a ser retomado com a apresentação de duas moções na Câmara de Mogi. A discussão teve como ponto de início o roubo e assassinato de uma aposentada na região do Cocuera na semana passada.

A primeira moção, sugerida na terça-feira, foi apresentada com a assinatura de todos os 23 integrantes do Legislativo, pedindo que o governo do Estado e a Secretaria de Estado da Segurança Pública reforcem o contingente de policiais civis e militares na cidade, para garantir o patrulhamento com tempo de resposta adequado a todas as regiões da cidade, inclusive na zona rural.

"Um exemplo dessa necessidade é a da Polícia Militar, que dispõe de equipamentos e viaturas, mas não tem o contingente para desempenhar todo o seu potencial na cidade", afirmou o vereador Maurino José da Silva (Pode), o Policial Maurino.

A segunda moção apresentada ontem foi para que a administração municipal venha a interceder junto à Polícia Militar para a criação de uma base da PM na região do Cocuera. O objetivo da proposta é reduzir o tempo de resposta a pedidos de socorro por moradores na zona rural, que vêm sofrendo com a ação de bandidos.

Deixe uma resposta

Comentários