Mesmo na fase crítica de Mogi, isolamento não sobe

As mais recentes taxas de isolamento social em Mogi das Cruzes indicam que a fase crítica da Prefeitura teve pouco efeito no comportamento da população. Conforme atualização diária disponibilizada pelo Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (Simi), por meio de uma parceria com as operadoras de telefonia celular, entre segunda e quarta-feira desta semana, Mogi não superou 42% de isolamento. Cidades da região, como Ferraz de Vasconcelos, que está em uma fase mais brandas de combate à pandemia, chegou a marcar até 45% nos mesmo dias.

Na fase crítica desde o dia 22 de março, Mogi só conseguiu manter metade da população em casa por dois dias, nos domingos de 28 de março e 4 de abril. Na maioria dos dias da semana, as taxas oscilaram entre 40 e 45%, na atualização de quarta-feira o índice alcançou 42%. É durante os dias uteis que as taxas mais baixas são registradas, independente da fase vigente, corroborando com a possibilidade do trabalho presencial ser o principal gerador de novas infecções, uma vez que durante esses dias a circulação de pessoas tende a ser maior.

Já nos finais de semana, dias de folga para a maioria, as taxas são as mais altas desde o começo da pandemia, conforme aponta o Simi desde os seus primeiros registros, em fevereiro de 2020. Ainda que festas clandestinas dos finais de semana sejam alvo de destaque da fiscalização, o impacto real dessas aglomerações pode ser menor se comparadas ao transporte de massa, como ônibus e trens.

Com a continuidade do trabalho presencial para a maioria, e seus consequentes baixos índices de isolamento, o esforço da Prefeitura de Mogi em impor uma fase crítica não superou os índices de cidades vizinhas que praticaram fases mais brandas. Em Ferraz, por exemplo, na última quarta-feira, a taxa de isolamento foi de 43%, antes disso, na segunda e terça-feira foi de 45%. Até mesmo os finais de semana em Ferraz superaram os de Mogi, no último domingo a cidade marcou 52%, uma semana antes registrou 51%.

Comparada ainda com outras cidades, o isolamento de Mogi, que deveria ter sido impulsionado pela fase crítica, não teve destaque. Em Suzano, as taxas foram praticamente as mesmas, nesta quarta-feira 42%. Itaquaquecetuba chegou a superar ambas no mesmo dia e registrou 43% de isolamento. Apesar de mais baixo do que o apresentado pelas cidades citadas, o índice de Poá também não ficou muito atrás nesta quarta-feira, marcando 40%.

*Texto supervisionado pelo editor.