Região aciona MP por vacinas

A direção do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) solicitou o apoio do Ministério Público Federal para que a região seja atendida com mais doses de vacina contra o coronavírus (Covid-19) destinadas aos trabalhadores da saúde. Em reunião virtual nesta semana com a participação de secretários municipais de Saúde e representantes da Secretaria de Estado da Saúde e do Ministério da Saúde, foi exposto o déficit de imunizantes para o grupo prioritário.

Os 12 municípios do Condemat, incluindo Guarulhos e Santa Branca, imunizaram cerca de 70 mil trabalhadores da saúde e de acordo com a Secretaria do Estado de Saúde todas as doses destinadas para o atendimento desse público já foram disponibilizadas nos três primeiros lotes da campanha.

"A estimativa é de que cerca de 29 mil trabalhadores de saúde da região não receberam nem a primeira dose da vacina, sendo que grande parte deles está atuando na linha de frente no combate à pandemia. Estamos cobrando providências, tanto do Governo do Estado, quanto do Ministério da Saúde, desde fevereiro e até o momento não tivemos retornos", ponderou a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde, Adriana Martins.

Ainda que mais evidentes nos trabalhadores da saúde, a insuficiência de doses atinge também outros grupos prioritários. "A abertura de novos grupos e novas faixas etárias de idosos, sem que o grupo anterior tenha sido completamente imunizado, também tem prejudicado a campanha e ocasionado uma lista de espera também entre os idosos de faixa etária cujas doses já foram encerradas por parte do Estado", ressaltou a coordenadora, ao lembrar que o cálculo de doses por grupo considerou o público imunizado na Campanha da Gripe de 2020, que não tinha o mesmo apelo da Covid-19 e ocorreu já no período da quarentena, com muitas pessoas optando por não sair de casa para se vacinar.

Além da falta de vacinas, as dificuldades na comunicação do Governo do Estado com os municípios também foram apontadas durante a reunião, principalmente a falta de uma programação preliminar de envio de vacinas. "Esta integração dos órgãos é a melhor forma para enfrentarmos a pandemia. Vamos acompanhar a execução dos compromissos assumidos com os municípios e buscar eventuais sugestões de soluções imediatas para abrandar a situação vivenciada nos municípios", disse o procurador da República, Guilherme Rocha Gopfert.

Na segunda-feira, o Alto Tietê devem retirar no Grupo de Vigilância Epidemiológico (GVE) o 14º lote de vacinas contra a Covid-19. O lote conta com 20.230 doses da vacina Astrazeneca, destinadas à aplicação de primeira dose para idosos de 67 anos residentes nos 11 municípios consorciados que fazem parte da Grande São Paulo. Para o município de Santa Branca, que pertence à outra região administrativa, ainda não há previsão do envio de doses para o público.

Mortes e oxigênio

O Condemat informou ontem a morte de 45 pessoas por Covid-19, somente em Mogi das Cruzes foram 19 falecimentos. No total, a região já soma 3.152 óbitos. A região recebeu obtém 60 cilindros de oxigênio para reforçar o atendimento aos pacientes em tratamento contra o coronavírus.

Os equipamentos, enviados pelo Governo do Estado após solicitação do Condemat, foram destinados a Biritiba Mirim, Poá e Suzano, que neste momento, apresentavam o maior risco de desabastecimento. Cada cidade recebeu 20 cilindros de 10 metros cúbicos cada.

"Estamos trabalhando em várias frentes para que as unidades de saúde não fiquem desabastecidas e a população tenha o atendimento necessário desde os casos moderados até os casos mais graves da doença", disse o secretário executivo do consórcio, Adriano Leite.