Professoras de Suzano são premiadas por boas práticas

Três professoras da rede municipal de ensino de Suzano venceram a premiação nacional de boas práticas educacionais durante a pandemia do coronavírus (Covid-19), na semana passada. Os projetos "Mascote da Turma" e "Leitura na calçada", criados por elas, concorreram com mais de 700 outros inscritos de todo o país.

Denise Riogi Lanzi e Priscila Zanini dos Santos Flor trabalham na Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Professora Darcy Correa Gonçalves, na Vila Amorim, e ganharam o reconhecimento graças ao projeto "Mascote da Turma", implementado no ano passado para a turma do G2. Elas apresentaram às crianças um pequeno peixinho, que recebeu o nome de Bolha. A cada três dias o animal ia para a casa de um aluno diferente, onde ele e sua família eram responsáveis por alimentá-lo e cuidar de seu bem-estar.

Bolha passou pelas residências de toda a turma e atualmente mora na instituição de ensino.

Joselene Cabral Lacerda foi a terceira vencedora do prêmio com seu projeto "Leitura na Calçada". Ela leciona na Escola Municipal Luiza Rodrigues de Oliveira, no Jardim Alterópolis, onde também atende crianças do G2. Quando a instituição recebeu os livros do projeto Itaú Cultural, a professora decidiu fazer a entrega de uma forma diferente.

Para ressaltar a importância deste hábito, ela foi na casa de cada um de seus alunos e promoveu o estímulo à leitura. Sentada em um tapete na calçada da residência com a criança, ela lia histórias e incentivava os responsáveis a criar um momento especial de leitura.

O Prêmio Educação Infantil: Boas Práticas de Professores Durante a Pandemia é realizado pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, com o apoio da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e da Fundação Itaú Social. A iniciativa foi criada para dar visibilidade ao trabalho de profissionais da educação que se reinventaram neste período de fechamento de unidades escolares para continuar ensinando.

De acordo com Denise, o Mascote da turma estimulou a interação entre os alunos, mesmo que de forma virtual, e trouxe alegria para suas rotinas. "O projeto buscou conectar famílias, crianças e escola em tempos de pandemia da Covid-19. Cada uma recebia o mascote com muita novidade e empolgação", ressaltou.

Segundo Joselene, o seu projeto foi criado com o objetivo de valorizar o hábito de leitura e transmitir para os pequenos que o livro é algo precioso. "Foi muito bom poder levar essa alegria para eles. Esse ano estou dando continuidade ao trabalho", ressaltou.