Em três meses, Mogi vacinou 50% do público-alvo de idosos

Vacinação de idosos no Alto Tietê avança lentamente
Vacinação de idosos no Alto Tietê avança lentamente - FOTO: [email protected]

Após três meses do início da campanha de vacinação contra o coronavírus, Mogi das Cruzes imunizou pouco mais da metade de sua população idosa, em números exatos: 50,7%. Cerca de 30 mil mogianos com 60 anos ou mais receberam, pelo menos, a primeira dose do imunizante. Apesar de ainda não estar aberta para os grupos entre 60 e 66 anos, algumas pessoas nesta faixa etária já foram imunizadas por portarem comorbidades.

Os vacinados, no entanto, são só a metade de uma população calculada em cerca de 60 mil idosos, conforme aponta o banco de dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

A campanha de imunização priorizou no início os grupos etários mais altos, que apresentavam elevado risco de infecção. Atualmente o maior índice de internados está na faixa entre 34 a 57 anos.

Até o começo desta semana, segundo atualização da Secretaria Municipal de Saúde, 30.804 moradores acima de 60 anos haviam recebido a primeira dose da vacina. O total vacinado, resultado dos três meses de campanha, é apenas metade dos 60.748 idosos residentes na cidade.

Quando considerados apenas aqueles que tomaram a segunda dose e, portanto, completaram de fato o processo de vacinação e podem ser considerados imunes, a cobertura da população idosa pela campanha é ainda pior.

Dos mais de 60 mil mogianos com direito à vacina, só 10.672 receberam as duas aplicações. Apenas 17,5% dos idosos em Mogi estão realmente imunizados contra a Covid-19. No entanto, alguns desses grupos etários estão chegando agora no momento da aplicação da segunda dose, obedecendo o calendário nacional.

Alto Tietê

Ainda que a campanha de vacinação em Mogi esteja abaixo da expectativa, o percentual de idosos vacinados supera o registrado pela maioria das cidades que compõem o G5 - cinco municípios mais populosos do Alto Tietê. Dentro desse grupo, Itaquaquecetuba obteve o pior resultado da região, alcançando uma vacinação de apenas 33,9% de seus 37.537 idosos.

Mesmo com a segunda maior população idosa do G5, Itaquá ainda engatinha em sua campanha de imunização. Foram aplicadas 12.731 vacinas como primeira dose. Considerando apenas os verdadeiramente imunizados com as duas aplicações, o percentual é 5,3%. Em números gerais, apenas 1.998 idosos completaram seu esquema vacinal. No ranking de vacinação por municípios divulgado pelo governo do Estado, Itaquá permanece na última das 645 posições.

Ainda dentro do G5, Ferraz de Vasconcelos também apresentou uma das piores coberturas de sua população idosa pela campanha contra a Covid-19. Só 39,2% dos 21.049 ferrazenses com 60 anos ou mais receberam a primeira dose, no total, foram 8.253 aplicações. Na vizinha Suzano, que conta com a terceira maior população idosa da região, a campanha cobriu apenas 47,9% dos 37.156 habitantes com 60 anos ou mais fazendo uso de 17.806 doses.

Já Poá alcançou a melhor taxa entre as cidades citadas. Com 8.606 primeiras aplicações em uma população idosa total de 15.261, 56,3% do grupo de risco poaense já deu iniciou ao processo de imunização contra a Covid-19.

*Texto supervisionado pelo editor

COBERTURA DA POPULAçãO IDOSA NO G5

CidadeDoses aplicadasPopulação idosa%
Poá86061526156,3
Mogi das Cruzes308046074850,7
Suzano178063715647,9
Ferraz de Vasconcelos82532104939,2
Itaquaquecetuba127313753733,9

Fonte para doses aplicadas: Secretarias Municipais de Saúde

Fonte para população idosa: Seade

QUADRO DE IDOSOS VACINADOS EM MOGI

1ª dose:
90 e mais: 1456
85 a 89: 2490
80 a 84: 4528
75 a 79 anos: 6954
70 a 74 anos: 9876
65 a 69 anos: 5070
60 a 64 anos: 430

2ª dose:
90 e mais: 1076
85 a 89: 2175
80 a 84: 1116
75 a 79 anos: 5439
70 a 74 anos: 628
65 a 69 anos: 146
60 a 64 anos: 92

Deixe uma resposta

Comentários