Em três meses, Itaquá vacinou somente 33,9% dos idosos

Com o pior desempenho entre as cidades paulistas, Itaquaquecetuba aplicou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em apenas 33,9% de sua população idosa. Completados três meses do início da campanha de vacinação no Estado, mais de 12 mil munícipes com 60 anos ou mais receberam, pelo menos, a primeira dose do imunizante. Os vacinados, no entanto, são só um terço de uma população total calculada em cerca de 37 mil idosos na cidade, conforme aponta o banco de dados populacional da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

A campanha de imunização contra a Covid-19 do principal grupo de risco avança vagarosamente em Itaquá. Até o início desta semana, segundo atualização da Secretaria Municipal de Saúde, 12.731 moradores acima de 60 anos haviam recebido a primeira dose da vacina. Apesar de ainda não estar aberta para os grupos entre 60 e 66 anos, algumas pessoas nesta faixa etária já foram imunizadas por portarem comorbidades.

O total imunizado é apenas uma pequena parcela dos 37.537 idosos residentes na cidade. Mesmo possuindo a segunda maior população idosa do Alto Tietê, Itaquá permanece na última posição no ranking de vacinação dos 645 municípios do Estado de São Paulo.

Quando considerados apenas aqueles que tomaram a segunda dose e, portanto, completaram de fato o esquema de vacinação e podem ser considerados imunes, a cobertura da população idosa pela campanha em Itaquá é ainda pior. Das mais de 37 mil pessoas com 60 anos ou mais, só 1.998 receberam as duas aplicações, o que dá 5,3% dos idosos realmente imunizados. No entanto, alguns desses grupos etários estão chegando agora no momento da aplicação da segunda dose, obedecendo o calendário nacional.

Outras cidades

Com o pior percentual de cobertura de seus idosos, a taxa de vacinação em Itaquá chama atenção quando comparada com o resultado das cidades do G5 - cinco municípios mais populosos do Alto Tietê - que possuem populações similares ou até mesmo menores. Em Suzano, por exemplo, onde a quantidade de idosos é quase a mesma, a campanha cobriu 47,9% dos 37.156 habitantes com 60 anos ou mais. Foram aplicadas 17.806 doses.

Ferraz de Vasconcelos informou que 39,2% dos 21.049 moradores com 60 anos ou mais receberam a primeira dose. No total, foram 8.253 aplicações. Ainda dentro do G5 e com a única população idosa que supera Itaquá, Mogi das Cruzes deu início ao esquema vacinal de 50,7% de seus habitantes com 60 anos ou mais.

Vivem em Mogi 60.748 idosos, dos quais 30.804 receberam a primeira dose. Considerando apenas os verdadeiramente imunizados com as duas aplicações, o percentual é 17,5%. Em números gerais, apenas 10.672 idosos completaram seu esquema vacinal.

Já Poá, a menos populosa do G5, alcançou a melhor taxa entre as cidades citadas. Com 8.606 primeiras aplicações em uma população idosa total de 15.261, 56,3% do grupo de risco poaense já deu início ao processo de imunização contra a Covid-19.

*Texto supervisionado pelo editor.

COBERTURA DA POPULAçãO IDOSA NO G5

CidadeDoses aplicadasPopulação idosa%
Poá86061526156,3
Mogi das Cruzes308046074850,7
Suzano178063715647,9
Ferraz de Vasconcelos82532104939,2
Itaquaquecetuba127313753733,9

Fonte para doses aplicadas: Secretarias Municipais de Saúde

Fonte para população idosa: Seade

Deixe uma resposta

Comentários