Pesquisas e experiências são temas na Brigada da Pandemia

A Brigada da Pandemia na Educação de Mogi das Cruzes recebeu em sua reunião semanal anteontem especialistas para conhecer experiências e pesquisas sobre a retomada das atividades presenciais em outros países e também no Brasil. Além dos membros da Brigada, participaram da reunião a Comissão de Educação da Câmara Municipal e o Conselho Municipal de Educação.

"Foi uma reunião muito positiva em que tivemos acesso a informações importantes para fundamentar nossas discussões e a proposta de ações para a retomada das aulas presenciais na cidade", avaliou o secretário interino de Educação, Caio Callegari. A Brigada é um espaço coletivo e colegiado para apreciar diferentes perspectivas e pactuar ações conjuntas em relação à política educacional no contexto da Covid-19.

Pesquisadora do Vozes da Educação, consultoria técnica formada por profissionais que acreditam no potencial transformador do chão de escola, Carolina Campos, trouxe alguns apontamentos sobre o levantamento internacional da retomada de aulas presenciais feito pelo grupo. O estudo mais recente, divulgado em março, abordou a questão da primeira infância.

"O que temos visto mundo afora é que os pais se sentem mais seguros quando o retorno começa de forma voluntária. É fundamental a comunicação com as famílias, mostrar a elas como as crianças irão passar o dia nas escolas", destacou. A professora também apontou a necessidade da rigidez no escalonamento de horários, a definição de funções dentro do ambiente escolar e a elaboração e um plano de monitoramento.

Vinicius Bueno, líder do projeto Gestão da Aprendizagem na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, trouxe a experiência do trabalho que está sendo feito pelo governo Estadual quanto à aprendizagem dos estudantes. "Meu viés de olhar para esse retorno é o pedagógico com foco na equidade. Também temos um olhar bastante próximo para os alunos em processo de alfabetização", contou. O trabalho tem sido feito com base na implementação do currículo e no programa de recuperação e aprofundamento.

Direto do Rio de Janeiro, Marco Rodrigues Júnior, líder do Plano de volta às aulas da capital carioca, falou sobre a experiência da retomada das atividades em 419 unidades de ensino com atendimento de estudantes de pré-escola, 1º ano e 2º ano do ensino fundamental. "A retomada é um trabalho de muito estudo e escuta. Buscamos o que tinha de mais rigoroso nos protocolos, inclusive internacionais e fizemos um trabalho muito alinhado com a saúde na elaboração do nosso protocolo sanitário. O retorno é voluntário e foi elaborado um escalonamento dos horários de entrada, saída e recreio. Estamos na Fase 1 do plano, priorizando a alfabetização", contou. Rodrigues também destacou a importância do plano de monitoramento e contingência de casos da doença nas unidades escolares.

Em Mogi está autorizado o funcionamento as escolas particulares com turmas de educação infantil. Este período servirá também de avaliação para a retomada gradual em outras unidades. Neste mês, a Secretaria de Educação está intensificando a preparação das escolas e creches para a retomada das atividades. Este processo tem sido discutido amplamente no Comitê Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas do município e na Brigada da Pandemia na Educação.