Mogi deve soltar hoje decreto com novas regras de restrição

Neste último dia da primeira etapa da Fase de Transição do Plano São Paulo, que começou no domingo anterior, a Prefeitura de Mogi das Cruzes deve publicar um novo decreto municipal que norteará as diretrizes da próxima semana. Esta nova fase de flexibilização da quarentena causada pela pandemia de coronavírus (Covid-19) está entre a vermelha e a laranja.

Entre as principais mudanças, em comparação à Fase Vermelha, havia a reabertura do comércio e das atividades religiosas. Além disso, diferentemente do que foi proposto pelo Estado, Mogi continuou realizando o toque de recolher com circulação restrita entre 22 e 5 horas. No Plano São Paulo de flexibilização, a medida começa às 20 horas.

Desde domingo, o atendimento presencial em atividades comerciais, incluindo shoppings e galerias, no horário das 11 às 19 horas, respeitando o limite de 25% do número de pessoas, distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os consumidores e funcionários e protocolos sanitários, estava autorizado.

Como nova norma da fase de transição também ficaram permitidas as atividades religiosas coletivas limitadas a 25% da capacidade e com o cumprimento de regras sanitárias. Na semana anterior, Mogi registrou queda nos índices de ocupação de leitos e segue a determinação do governo estadual, que classificou todo o Estado de São Paulo nesta fase.

No entanto, diferente do Estado, que estabeleceu esta nova fase até o dia 2 de maio, a Prefeitura publicou um decreto apenas para uma primeira etapa da atual fase de transição e por este motivo hoje deve publicar outro decreto com uma nova avaliação.

A opção por um protocolo mais rígido visa a uma redução mais acentuada dos casos de Covid-19 no município. A Secretaria Municipal da Saúde já afirmou que, embora haja diminuição da ocupação de leitos, a situação ainda é crítica. Exemplo de medida mais restritiva na cidade é o limite de uma pessoa para cada 10 metros quadrados e a entrada de apenas uma pessoa por família em supermercados, mercados, entre outros estabelecimentos.

Diferente de Mogi, a partir de amanhã as demais cidades do Alto Tietê seguirão a segunda etapa da Fase de Transição, proposta pela governo paulista.