Instauração de CEI do Fura-Fila ganha apoio

Com a rejeição pela maioria absoluta dos vereadores aos pedidos de cassação do prefeito Caio Cunha (Pode), alguns parlamentares buscam o apoio entre os colegas para a instauração de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para averiguar as suspeitas de irregularidade na vacinação de servidores da Saúde.

A movimentação pela criação da CEI teve início com os desdobramentos da recomendação do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP). Na visão dos promotores de Justiça, o ex-secretário Henrique Naufel e os servidores da Pasta no setor administrativo foram imunizados de maneira irregular, desobedecendo aos públicos prioritários das campanhas de vacinação.

Os vereadores Iduigues Martins (PT) e Inês Paz (Psol) colocaram-se abertamente favoráveis à abertura da comissão. Inês chegou inclusive a organizar debates por meio de transmissões ao vivo na Internet para tratar do tema junto à comunidade.

Por sua vez, Martins reforçou a importância de se colocar coerente à proposta de renovação da política no município e do combate a todo e qualquer tipo de corrupção.

Durante as justificativas de voto para a rejeição dos dois pedidos apresentados na Câmara, os vereadores receberam o apoio formal dos vereadores Edson Santos (PSD) e José Luiz Furtado (PSDB), o Zé Luiz.

Santos reforçou o apoio à criação da CEI para o devido esclarecimento por parte dos servidores públicos da Saúde, e como parte do dever do Legislativo. Zé Luiz afirmou que a responsabilidade de fiscalização da Câmara deve ser cumprida. "Quem segue o nosso prefeito desde os seus mandatos como vereador sabe que ele sempre defendeu a transparência do poder público", concluiu.

A vereadora Maria Luíza Fernandes (SD) também pediu cautela com a criação da comissão. "Tendo em vista que o Ministério Público já abriu dois inquéritos, um civil e outro criminal, para investigar, apurar e analisar a questão da vacinação dos profissionais da Secretaria de Saúde e que a Comissão de Saúde já está tomando as devidas medidas, de conversar com os responsáveis e fiscalizar o Executivo, eu acredito que a abertura da CEI não seja necessária", disse em nota. (A.D.)

Deixe uma resposta

Comentários