Santa Marcelina consegue reduzir ocupação de leitos

Dois dos 20 leitos de UTI estavam livre, ontem
Dois dos 20 leitos de UTI estavam livre, ontem - FOTO: Emanuel Aquilera

No limite há quase uma semana, ontem o Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba, registrou duas liberações de leitos. A ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ainda é uma das mais altas do Alto Tietê e as 28 vagas de Enfermaria continuam indisponíveis.

Enfrentando taxas de 100% desde a quarta-feira passada, o Santa Marcelina registrou o primeiro alivio no número de internações. A unidade recebeu na semana passada dez leitos de UTI e dobrou sua capacidade para 20 vagas.

Com a inauguração do hospital de campanha, a expectativa era de que as taxas de ocupação registrassem reduções mais generosas. No entanto, conforme atualização da Prefeitura, nenhum dos 30 leitos da nova unidade registra ocupação. O hospital foi inaugurado na quarta-feira passada.

Segundo atualização da Secretaria de Estado da Saúde, os hospitais que atendem o Alto Tietê ainda registram taxas de ocupação elevadas. Em Ferraz de Vasconcelos, no Hospital Doutor Osíris Florindo Coelho, são 26 leitos de UTI com 73% de ocupação e 26 de Enfermaria com 73% de ocupação.

Em Mogi das Cruzes os índices também preocupam. No Hospital Luzia de Pinho Melo, são 46 leitos de Enfermaria com 72% de ocupação e 33 de UTI com 91% de ocupação. No Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti, já estão em funcionamento 30 leitos de Enfermaria com ocupação de 51% e os dez de UTI todos ocupados. Por fim, em Suzano o Hospital Auxiliar opera 20 leitos de Enfermaria com 50% de ocupação..

Em relação às mortes, o Alto Tietê registrou ontem 29 falecimentos por coronavírus. Ferraz registrou o maior número de óbitos, 12 no total.

*Texto supervisionando pelo editor.