Região garante que estoque de oxigênio para Covid está em dia

Estado afirmou que reitera pedidos ao Ministério da Saúde para não faltar o produto
Estado afirmou que reitera pedidos ao Ministério da Saúde para não faltar o produto - FOTO: Divulgação/Condemat

As cidades do Alto Tietê que mantêm leitos exclusivos para internação de pacientes com coronavírus (Covid-19) garantem que os estoques de oxigênio e outros insumos não correm risco de desabastecimento. Ainda que a distribuição do "kit intubação" esteja acompanhando a demanda, o governo do Estado reclamou que a entrega reduzida de medicamentos pelo Ministério da Saúde não respeita a equanimidade entre as unidades federativas.

No final de semana passado, a Secretaria de Estado da Saúde concluiu a distribuição dos 407 mil medicamentos para intubação enviados pelo governo Federal. Só que a quantidade liberada para São Paulo equivale a, no máximo, três dias de consumo frente à demanda que chega a 3,5 milhões de sedativos e neurobloqueadores, mensalmente.

"Há 40 dias, a Secretaria de Estado da Saúde reitera em ofícios e reuniões este tipo de pedido, uma vez que a requisição administrativa pelo Ministério, somada ao aumento da demanda de internação em todo país e à dificuldade de fornecimento pelos fabricantes e distribuidores, tem prejudicado o reabastecimento da rede e tentativas de compras realizadas diretamente pelos serviços", esclareceu o governo paulista.

Mesmo sofrendo negligência em relação as quantidades adequadas para suprir a demanda do Estado, entre as cidades mais populosas que integram o Alto Tietê não há risco de desabastecimento, segundo as secretarias municipais de Saúde. Mogi das Cruzes afastou a preocupação de escassez afirmando que todos os pacientes estão recebendo assistência necessária e não há perigo de falta de medicamentos.

Suzano comunicou que possui um contrato para aquisição de oxigênio com abastecimento diário por meio de controle por telemetria, contando ainda com uma reserva de 21 cilindros e outros 20 do governo estadual, recebidos há duas semanas. Quanto aos kits para intubação, a Prefeitura esclareceu que tem estoques variados dos medicamentos utilizados e que são suficientes para um mês sem risco de falta até a próxima aquisição.

Itaquaquecetuba também informou que tem abastecimento diário de oxigênio. Sobre os medicamentos para intubação, o estoque é completado quinzenalmente. Poá declarou que está com estoques dentro da capacidade normal e segura e o contrato de oxigênio garante o abastecimento duas vezes ao dia, mantendo uma média de cem cilindros. Em relação ao restante dos itens que compõem o kit intubação, a Secretaria de Saúde informou que tem em quantidade suficiente e afastou a possibilidade de desabastecimento.

*Texto supervisionado pelo editor