Em quatro meses, Mogi registra 46,7% das mortes por Covid-19

Durante dez meses de pandemia, em 2020, 546 moradores sucumbiram à doença
Durante dez meses de pandemia, em 2020, 546 moradores sucumbiram à doença - FOTO: Mogi News/Arquivo

Em apenas quatro meses, o número de óbitos pelo coronavírus (Covid-19) em 2021 se aproxima do acumulado em todo o ano passado, em Mogi das Cruzes. Entre janeiro e ontem, foram registrados 480 mortes de pacientes. Já em 2020, durante dez meses de pandemia, foram 546 falecimentos. Os dados foram contabilizados pelo Mogi News com base na atualização apresentada diariamente pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).

O ritmo da pandemia em 2021 supera, em disparada, o que a cidade vivenciou no ano passado. Com as mais recentes atualizações de óbitos em Mogi é possível afirmar que quase metade do total de mortes foi registrado entre janeiro e abril. Os primeiros quatro meses deste ano respondem por 46,7% dos falecimentos pela Covid-19. Os 53,3% foram registrados ao longo de dez meses de 2020, levando em consideração os casos registrados entre março e dezembro daquele ano.

Com 1.026 mortes pela Covid-19, Mogi detém o maior saldo de óbitos do Alto Tietê. No comparativo de falecimentos registrados em 2020 e 2021 a cidade também foi acompanhada pela maioria dos municípios que compõe o G5 - conjunto dos cinco mais populosos da região. Em Itaquaquecetuba, por exemplo, 45,7% dos 652 óbitos totais foram registrados nos últimos quatro meses. Em número gerais, foram 298 casos, um saldo que também começa a se aproximar dos 354 óbitos registrados nos dez meses de pandemia de 2020.

G5 regional

Também perto de superar o saldo do ano passado, Ferraz de Vasconcelos contabilizou 44% de seu total de vítimas da Covid-19 neste ano. Foram 144 falecimentos entre janeiro e abril de 2021 contra 183 entre março e dezembro do ano passado.

Com a menor população do G5, Poá também está há um passo de superar todas as mortes de 2020. Das 261 mortes desde o começo da pandemia, 47,8% ocorreram em 2021, foram 125 vidas perdidas neste ano contra 136 no ano passado.

A única cidade que cruzou a marca foi Suzano. Ontem a cidade já havia ultrapassado o saldo de mortes do ano passado. Das 645 mortes de pacientes, 55,3% ocorreu em 2021, no total foram 357 em quatro meses de pandemia contra 288 falecimentos em dez meses.

*Texto supervisionado pelo editor.