Proporção de óbitos em Mogi na região é superior a de habitantes

Dados destacam que, proporcionalmente, morreram mais pessoas em Mogi
Dados destacam que, proporcionalmente, morreram mais pessoas em Mogi - FOTO: Emanuel Aquilera

Mogi das Cruzes responde por 35,5% das mortes causadas pelo coronavírus (Covid-19) no G5, conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê, no entanto, o número de habitantes do município representa 30,8% da população da região, que atualmente é de 1,4 milhão de pessoas. A discrepância entre número de óbitos e tamanho da população aponta que morreram, proporcionalmente, mais mogianos do que moradores das cidades vizinhas.

Os dados foram contabilizados pelo Grupo Mogi News com base na atualização de óbitos do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e censo populacional da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

Desde o começo da pandemia, Mogi registra o maior número de óbitos pela Covid-19 na região. O alto número, até então, sempre foi justificado pela tamanho da população da cidade - a maior do G5. No entanto, quando analisados mais detalhadamente, é possível perceber que o número de falecimentos em Mogi extrapola, proporcionalmente, o peso de sua população no Alto Tietê.

O desequilíbrio na balança entre óbitos e habitantes revela um saldo ainda mais negativo para Mogi no combate à pandemia. Até terça-feira passada, 1.026 mogianos perderam a vida em razão da Covid-19, esse acumulado é 35,5% das 2.911 mortes registradas em conjunto por Mogi, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá. Com a maior população do grupo, Mogi contabiliza 432 mil habitantes, cerca de 30,8% dos 1,4 milhão de moradores do G5.

Além de Mogi, a única cidade que também apresentou desequilíbrio na balança de óbitos e habitantes foi Suzano. De acordo com o levantamento, o município responde por 22,1% dos óbitos pela Covid-19 no G5, porém, responde por 20,7% da população da região. Foram 645 falecimentos dentro de uma população de 291 mil.

Itaquá, embora possua uma população maior do que a de Suzano e também um número de óbitos que supera a vizinha, registrou uma proporção menor. Dentro do G5, a cidade responde por 22,1% das mortes de pacientes infectados, foram 652 casos. Sua população, de 370 mil, representa 20,7% da soma das cinco cidades.

Quem também marcou resultados controlados foi Ferraz de Vasconcelos e Poá. Com uma população de 13,7% (193 mil) do total do G5, morreram em Ferraz 11,2% (327) dos 2.911 óbitos totais da região. Poá manteve o equilíbrio com uma população de 8,5% (115 mil) registrou 8,5% (261) dos óbitos das cinco cidades.

*Texto supervisionado pelo editor.