Hospital de Itaquá acolhe os 6 primeiros pacientes

Uma semana após a inauguração, o hospital de campanha de Itaquaquecetuba recebeu seus primeiros pacientes ontem. Conforme atualização da Prefeitura, há seis infectados com coronavírus (Covid-19) internados em leitos de Enfermaria. A unidade provisória trabalha com 30 leitos e a expectativa é que atenda enfermos de todo o Alto Tietê pelos próximos três meses ao custo de
R$ 4,1 milhões com recursos do governo do Estado e da Prefeitura.

Há pouco mais de um mês, quando a região e a própria Itaquá viviam um dos piores momentos da pandemia, o movimento do hospital de campanha, certamente teria sido muito mais intenso. Agora, quando o Alto Tietê já caminha para maiores flexibilizações do Plano São Paulo, sustentadas pela desocupação de leitos registrada em todos hospitais da região, tantos os municipais quantos os estaduais.

Em sua primeira semana de operação, funcionando com metade do total previsto de 60 leitos, a unidade provisória ainda não atendeu nenhum paciente vindo de cidades vizinhas. Os únicos seis infectados que foram internados ontem são de Itaquá e foram transferidos da própria Central de Covid-19 do município.

Redução

A baixa demanda revela uma possível subutilização do espaço, ainda que, até o começo dessa semana, o Hospital Santa Marcelina enfrentasse ocupação de 100% de seus leitos Terapia Intensiva (UTI) e Enfermaria. O recente número de óbitos na cidade também é um dos mais altos da região. Só no final de semana passado, 40 pessoas moradores do município morreram.

A ociosidade do hospital de campanha de Itaquá pode ser explicada pela redução de ocupações de leitos nas cidades vizinhas. Mogi das Cruzes, por exemplo está com 58% da Enfermaria ocupada e 79% da UTI. Suzano informou que sua Enfermaria registra ocupação de 34% e a UTI 45%. Também com atendimento bem reduzido, Poá tem na Enfermaria quatro pacientes e dois na Emergência.

Seguindo a tendência de redução nas internações e na esperança de que nenhuma nova onda da pandemia surja nos próximos meses, dificilmente a unidade provisória itaquaquecetubense cumprirá seu objetivo de atender o Alto Tietê. Uma vez que, até mesmo a recente demanda do município é baixa, conforme atualização da Secretaria Municipal de Saúde.

*Texto supervisionado pelo editor.