Mais de 140 mil contribuintes jáacertaram as contas com o Leão

Mais de 140 mil moradores do G5 - conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - já declararam o Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) 2021. Com o prazo de entrega prorrogado para 31 de maio, faltando pouco menos de um mês para o encerramento do período, cerca de 60% do total previsto dos contribuintes para este ano na região já prestaram contas com a Receita Federal.

De acordo com o órgão 232.946 declarações foram emitidas pelo G5 no ano passado e a estimativa para 2021 é de que um número semelhante de pessoas, com variação de até 2%, deve realizar o processo nos próximos dias.

Caso não tivesse sido prorrogado, o prazo para o ajuste das contas com o Leão teria encerrado no final de abril e 40% dos contribuintes teria ficado de fora. Como no ano passado, o prazo foi estendido em razão da pandemia do coronavírus (Covid-19); em 2020, a Receita Federal prorrogou o limite para a entrega da declaração em 60 dias.

Dessa vez, ainda que a pandemia registre números bem mais alarmantes se comparados com o mesmo período do ano passado, o Leão foi menos generoso e a prorrogação foi de apenas um mês. Até sexta-feira da semana passada, 140.537 moradores haviam prestado contas, cerca de 60% dos 232.946.

O percentual de declarações entregues em Mogi das Cruzes é o menor entre as cidades do G5. Apesar de ter o maior número de contribuintes, até a sexta-feira passada, só 54% haviam realizado o processo, o que significa 50.791 de 93.735 mogianos na estimativa do Leão.

Individualmente, as cidades do G5 apresentam índices diferentes. Mais próxima de completar o total das declarações previstas para esse ano está Itaquaquecetuba que, até o momento, registrou 68% dos contribuintes que acertaram suas contas com o Leão. Dos 40.849 estimados, 28.116 estão quites. Em seguida, Ferraz de Vasconcelos ostenta um percentual de 66% de declarações, ou seja, das 24.524 estimadas, 16.337 já resolveram a pendência.

Ainda dentro do G5, Suzano tem um índice de 61% de contribuição, o que significa 32.599 dos 52.961 contribuintes da cidade que estão enquadrados a fazer a declaração neste ano. Na região, Suzano responde pelo segundo maior grupo de pessoas com recursos tributáveis. Por sua vez, Poá informou uma taxa de 60%, totalizando 12.694 declarações das 20.877 estimadas.

Neste ano, algumas regras continuam valendo, como a obrigatoriedade da declaração para todos que acumularam rendimentos tributáveis em valores acima de R$ 28.559,70 no ano base de 2020.

A novidade é para quem recebeu o Auxílio Emergencial do governo federal no ano passado. Para esse grupo beneficiário, a declaração deverá incluir o auxílio, mas apenas para aqueles que somaram rendimentos maiores que R$ 22.847,76. Com a nova regra, a Receita Federal pretende reaver o valor do auxílio pago indevidamente. Em todo o país, até 3 milhões de pessoas deverão fazer a devolução neste ano.

*Texto supervisionado pelo editor.

 

Deixe uma resposta

Comentários