Ocupação de UTI é de 72%

Luzia de Pinho Melo é parte da rede pública estadual
Luzia de Pinho Melo é parte da rede pública estadual - FOTO: Fábio Miranda

O balanço de ontem da Prefeitura de Mogi das Cruzes aponta 45 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis para pacientes com coronavírus (Covid-19). Com taxa de ocupação de 72,6% na UTI e 68,1% na Enfermaria nesta segunda-feira, a cidade alcançou taxas inferiores a média registrada na Grande São Paulo. Ainda que os números inspirem confiança, medidas de segurança devem ser mantidas para evitar novas lotações.

Somando leitos da rede estadual, municipal e particular, Mogi conta com 164 leitos de UTI, dos quais 119 encontram-se ocupados. Na Enfermaria são 226 vagas, 72 livres e 154 indisponíveis até ontem. Os pacientes estão distribuídos no Hospital Municipal, Hospital de Campanha, Santa Casa, Luzia de Pinho Melo, Hospital Ipiranga, Hospital Santana, Biocor e Mogimater.

Conforme atualização da Secretaria de Estado da Saúde, ontem, as UTIs da região estavam com ocupação de 76,3%. Só leitos de Enfermaria encontram-se com oferta superior, marcando ocupação de 59,5%.

Dentro da responsabilidade do governo do Estado, algumas unidades de Saúde apresentam índices elevados. É o caso do Hospital Santa Marcelina de Itaquaquecetuba que opera com 20 leitos de UTI com 90% de ocupação e 22 de Enfermaria, todos ocupados no momento.

Em Ferraz de Vasconcelos, o Hospital Regional Doutor Osíris Florindo Coelho estava com seus 26 leitos de UTI com 80% de ocupação e os 26 de Enfermaria ocupados.

Só em Suzano, o governo do Estado informou que, dos 20 leitos de Enfermaria, a ocupação era de 43,% do total.

Em relação às mortes por Covid, a região confirmou 22 novos óbitos nas últimas 72 horas.

*Texto supervisionado pelo editor.