Em 24 horas, Covid-19 deixa mais 20 mortos no Alto Tietê

O coronavírus (Covid-19) deixou ontem mais 20 pessoas mortas no Alto Tietê. Os números, atualizados pelo Consórcio de Desenvolvimentos dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) atestam que a região chegou, na tarde de ontem, à marca de 3.662 óbitos causados pela doença desde março do ano passado, quando a pandemia se instalou de vez por aqui.

Nesta última informação, o Condemat, em parceria com as prefeituras, informou que os falecimentos ocorreram em Arujá, que registrou seis mortes; Biritiba Mirim e Guararema, que confirmaram um óbito cada; Itaquaquecetuba, que afirmou a ocorrência de mais quatro vítimas fatais; Poá que anotou mais dois falecimentos e Suzano, que registrou a morte de mais seis pessoas. Mogi das Cruzes, que possui o maior números de óbitos no Alto Tietê, não registrou nenhuma vítima fatal por coronavírus na tarde de ontem.

Em todo o Estado de São Paulo 2.941.980 novo casos e 98.021 óbitos por Covid-19 foram confirmados ontem, desde o início da pandemia. Entre o total de casos, 2.624.056 tiveram a doença e já estão recuperados, sendo que 302.393 foram internados e receberam alta hospitalar.

São 21.283 pacientes internados no Estado, sendo 10.235 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 11.048 em Enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI em todo o território paulista é de 78,3% e na Grande São Paulo é de 76,4%.

Variantes

O Instituto Adolfo Lutz da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo concluiu nesta terça-feira da semana passada um estudo que identifica o panorama das variantes do novo coronavírus em todas as regiões do paulistas.

Foram avaliadas 1.439 sequências genéticas realizadas pelo Lutz e por outras instituições de referência, que identificaram 21 linhagens diferentes em São Paulo com prevalência da P.1 de Manaus em 90% das amostras. O estudo também mostra uma evolução desta variante no decorrer dos três primeiros meses deste ano. Em janeiro ela representava 20% dos sequenciamentos, sendo que em fevereiro correspondia a 40% e em março 80%.

A P.1 está presente nos 17 Departamentos Regionais de Saúde (DRS), sendo predominante em 15 regiões, com exceção de São José do Rio Preto e de Presidente Prudente onde a P.2 é mais evidente. A P.1 é considerada pelas autoridades sanitárias uma "variante de atenção" devido à possibilidade de maior transmissibilidade ou gravidade da infecção.

Ainda segundo o Estado, a variante da P.1 manauara foi encontrada em duas pessoas no Alto Tietê, uma é moradora de Poá e outra de Biritiba Mirim.