Antecipação do 13° salário vai aquecer comércio da região

Entrada de dinheiro no mercado vai contribuir na recuperação de setores que tiveram de suspender atividades
Entrada de dinheiro no mercado vai contribuir na recuperação de setores que tiveram de suspender atividades - FOTO: Emanuel Aquilera

O adiantamento do 13° salário de aposentados e pensionistas deverá aquecer as vendas no comércio da região. Para entidades classistas de Mogi das Cruzes e Alto Tietê a medida é bem vinda no momento de recuperação do comércio, após semanas fechado em razão da pandemia do coronavírus.

Com o início dos pagamentos da primeira parcela programado para 25 de maio, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) planeja incrementar a renda dos beneficiários e favorecer a recuperação econômica de vários setores. Um dos mais beneficiados deverá ser o comércio, que amargou dias de vendas no zero com o fechamento dos estabelecimentos e medidas mais restritivas durante o pico da pandemia.

A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) acredita que a antecipação do 13° salário para aposentados e pensionistas é uma medida importante para aquecer o comércio, junto com o pagamento das novas parcelas do auxílio emergencial que, mesmo menores que as rodadas do ano passado, aumentarão o poder de compra da população.

"Este benefício, que deve ser pago em maio e junho, será um importante auxílio para a retomada das vendas no varejo, especialmente neste mês, que conta com uma das principais datas de vendas, que é o Dia das Mães. O incremento no salário também possibilitará que possíveis débitos no comércio sejam quitados", pontuou a entidade.

O Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio) também deu boas-vindas aos pagamentos, mas avaliou a medida com cautela, uma vez que o que pode ser dado neste mês poderá faltar em outras importantes datas.

"Neste momento, essa injeção de recursos será positiva para o comércio pois possui potencial para manter aquecida as vendas após o Dia das Mães. Mas esse adiantamento também possui um lado negativo, pois essa medida poderá impactar as vendas de final de ano. Os clientes que recebem agora ficarão sem essa renda durante o Natal e isso gera um pouco de preocupação", indicou Valterli Martinez, presidente do Sincomércio.

O dirigente também revelou que o Dia das Mães ainda não criou aumento suficiente das vendas para gerar novas contratações. O setor observa estabilidade, mas tem esperança nas compras para última hora. Com o adiantamento do 13°, é possível que o cenário melhore.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários