Profissionais do Estado temem retorno às aulas presenciais

Volta às atividades presenciais na rede de ensino não tem apoio dos profissionais
Volta às atividades presenciais na rede de ensino não tem apoio dos profissionais - FOTO: Divulgação

No final de abril, a Prefeitura de Mogi das Cruzes divulgou o plano de retomada das aulas presenciais nas escolas públicas e privadas do município, seguindo o Plano São Paulo, do governo estadual. No entanto, profissionais da rede estadual de ensino mostraram-se desconfortáveis em retornar às aulas durante a pandemia do coronavírus (Covid-19).

Um profissional da Educação, que não quis se identificar por temer represálias, informou que os protocolos sanitários de distanciamento social e uso de máscara nem sempre são respeitados dentro dos muros das escolas estaduais. "Durante o período de recuperação, em janeiro deste ano, mesmo com um público menor nas salas, tivemos problemas para garantir o uso das máscaras. É preciso reforçar ainda mais a importância do uso delas durante o horário de aulas", afirmou o profissional.

Um dos pontos é a falta de detalhamentos sobre como tratar de alguns assuntos com os alunos, ou mesmo o amparo à saúde mental. "Houve casos de alunos que, durante as aulas virtuais, mencionaram perder parentes e amigos para a Covid-19. E não há uma definição sobre como tratar o assunto. A saúde mental acaba virando um esforço particular de cada escola", explicou.

Outra preocupação entre os profissionais é a baixa cobertura vacinal para os professores que estão abaixo da faixa etária de 47 anos - faixa que foi incluída na vacinação prioritária contra a Covid-19, como explicou uma professora da rede municipal que preferiu manter o anonimato.

A vereadora Inês Paz (Psol), integrante da Comissão Permanente de Educação da Câmara, confirmou o receio de profissionais com a ordem de voltar às salas de aula. "No dia 18 de abril, a comissão esteve em reunião com o comando interino da Pasta, que se colocou contra a volta, e fomos surpreendidos com a decisão da Prefeitura. Acreditamos que ainda é cedo para voltar com as aulas", afirmou a vereadora.

O secretário de Educação de Mogi, André Stabile, informou que a Pasta lançará um Guia Prático de Recomendações sobre a retomada das atividades, além de propor a criação de Brigadas da Pandemia nas unidades escolares e do empenho em incluir os professores na vacinação prioritária. "Não haverá por parte da Prefeitura dificuldade em revisar as decisões diante de qualquer identificação no aumento de casos: respeitamos a ciência e não hesitaremos em proteger a vida das pessoas", concluiu. A Pasta informou que denúncias serão recebidas pelo e-mail [[email protected]], que são encaminhadas à Vigilância Sanitária.

A Secretaria de Estado da Educação informou que trabalha com todas as medidas para a retomada segura, e que dentro de cada escola estadual existe um comitê local para monitorar o cumprimento dos protocolos. O Estado também reforçou o telefone (0800) 770-0012 para denúncias de violações. "Sobre a vacinação de profissionais, é para todos os profissionais independente da rede, sem critérios para a rede estadual. É destinado para quem exerce atividades constantes com os alunos e que são fundamentais ao funcionamento da unidade", reiterou Kate Abreu, secretária executiva da Comissão Médica da Secretaria da Educação.

Deixe uma resposta

Comentários