Isolamento social no G5 cai 3 pontos na semana

Em Suzano, população relaxou após a flexibilização
Em Suzano, população relaxou após a flexibilização - FOTO: Emanuel Aquilera

A taxa de isolamento social no G5 - conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - caiu para 42% no último domingo. Na comparação com a semana passada, o índice caiu três pontos percentuais, revelando um relaxamento preocupante após as medidas de flexibilização do Plano São Paulo.

Atualizado diariamente pelo Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (Simi) por meio de uma parceria com operadoras de celulares, o índice segue bem abaixo do recomendado para evitar novas ondas da pandemia do coronavírus.

Entre as cinco cidades, Poá obteve o pior resultado. Anteontem, apenas 38% dos poaenses se preservaram e mantiveram o isolamento social. Uma semana antes, em 2 de abril, a taxa de isolamento na cidade era de 42%. Em seguida, Itaquaquecetuba ostenta o segundo pior índice do G5. No domingo, marcou 41%, um ponto abaixo do registrado na semana passada.

Não muito atrás, Suzano teve isolamento de 42%; no domingo retrasado era de 45%. Com uma das quedas mais drásticas de isolamento da região, o comportamento da população suzanense revela o relaxamento geral vivido após a flexibilização do governo paulista. Ferraz, que vinha registrando as taxas mais altas do G5, caiu nessa semana para um isolamento de 44%; uma semana antes marcava 46%.

Mogi das Cruzes despontou essa semana com a melhor taxa entre as cinco cidades. Conforme atualização do Simi, o último domingo o índice foi de 45%. Apesar do destaque, Mogi também marcou uma redução de 3 pontos percentuais entre uma semana e outra.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários