18 mil moradores de Mogi se recuperaram do coronavírus

Apesar dos 18 mil recuperados da doença, 8.208 ainda mantêm o vírus ativo
Apesar dos 18 mil recuperados da doença, 8.208 ainda mantêm o vírus ativo - FOTO: Mogi News/Arquivo

Mais de 18 mil mogianos já se recuperaram do coronavírus (Covid-19). Desde o começo da pandemia, em março de 2020, 28.073 moradores foram contaminados e 1.139 morreram, da diferença entre infectados e recuperados, cerca de 29% são casos ativos, isto é, potenciais transmissores da doença. Nos hospitais do município a ocupação de leitos segue controlada. Nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) públicas a taxa de internação era de 63,5% e na Enfermaria 58,6%.

A atualização diária do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) sobre o avanço da pandemia em Mogi apontou 18.726 recuperados da Covid-19 ontem. No Alto Tietê é o número mais elevado, proporcionalmente refletindo o maior número de infecções registradas na região.

Da diferença entre contaminados e recuperados e falecidos, é possível estimar que 8.208 moradores estão com o vírus ativo. Apesar do alto número de infectados, a ocupação dos leitos exclusivos para pacientes com Covid-19 na cidade continua em queda.

Hospitais

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, nas quatro unidades de Saúde públicas de Mogi (Hospital Municipal, Hospital de Campanha, Santa Casa e Luzia de Pinho Melo) o índice de ocupação é um dos mais baixos da região.

Na UTI, dos 118 leitos instalados 75 estão ocupados e na Enfermaria os 179 leitos operam com ocupação de 105 vagas. É com base nas taxas de ocupação dos leitos que o governo do Estado determina avanços ou recuos na estratégia de flexibilização econômica do Estado. No entanto, ainda que sobrem vagas, oito em cada dez intubados com Covid-19 no Brasil em 2020 morreram, segundo levantamento da BBC News.

G5

Nas demais cidades que compõe o G5 - cinco municípios mais populosos do Alto Tietê - os índices de ocupação dos leitos foram variados. Itaquaquecetuba, por exemplo, está com o Hospital Santa Marcelina quase no limite.

Ontem a unidade operava com 20 leitos de UTI em 90% de ocupação e 22 de Enfermaria também com 90% de uso. A Prefeitura não respondeu sobre a ocupação de leitos do hospital de campanha, que até anteontem era de 90% dos 20 leitos de Enfermaria.

Em Suzano, as taxas de ocupação da UTI e Enfermaria foram de 35% (7 de 20 vagas) e 22,8% (13 de 57 vagas), respectivamente. No Hospital Auxiliar, os 20 leitos de Enfermaria trabalham com ocupação de 63%.

No Hospital Regional Doutor Osíris Florindo Coelho, em Ferraz de Vasconcelos, os 26 leitos de UTI operam com 80% de ocupação e os 26 de Enfermaria com 69%. Por fim, em Poá, as alas de saúde destinadas aos tratamento da Covid estavam completamente desocupados. São 22 leitos de Enfermaria e dois de Emergência.

Em relação às mortes, a região confirmou ontem 26 óbitos e chegou a 3.878 falecimentos desde o início da pandemia, em março do ano passado

*Texto supervisionado pelo editor.