Leitos Covid do Alto tietê seguem com ocupação elevada

No Regional de Ferraz, ocupação da UTI é de 96,15%
No Regional de Ferraz, ocupação da UTI é de 96,15% - FOTO: Divulgação

Os hospitais estaduais do Alto Tietê em Ferraz de Vasconcelos, Mogi das Cruzes e Itaquaquecetuba ainda registram taxas de ocupação de leitos elevadas. Conforme atualização da Secretaria de Estado da Saúde, as tês unidades apresentam lotação de, pelo menos, uma ala hospitalar responsável pelo enfrentamento da pandemia do coronavírus (Covid-19).

No Hospital Regional de Ferraz, Doutor Osíris Florindo Coelho, são 26 leitos de UTI com 96,15% de ocupação e 26 de Enfermaria com 65,38% de ocupação. No Santa Marcelina de Itaquá operam 20 leitos de UTI com 65% de ocupação e 21 de Enfermaria com ocupação de 100%. Em Mogi, no distrito de Jundiapeba, a situação do Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti também é delicada.

Até ontem a ocupação da unidade mogiana era de 92,86%. Nos seus 30 leitos de UTI e de 51,72% no 30 de Enfermaria. Situação menos grave só foi registrada no hospital regional Luzia de Pinho Melo, também em Mogi, onde dos 46 leitos de Enfermaria a ocupação era de 15% e dos 33 de UTI 46%. Em Suzano, no Hospital Auxiliar, 20 leitos de Enfermaria trabalham com ocupação reduzida de 33,33%.

O governo paulista destacou que essas taxas de ocupação variam no decorrer do dia em virtude de fatores como altas, óbitos ou transferências para leitos de Enfermaria ou UTI, por exemplo. Ainda assim, a taxa média da região fica em contraste com a média da região metropolitana de São Paulo de 76,6% na UTI e 59,1% em Enfermaria.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários