Deputados estaduais articulam ações contra praças de pedágio

Damasio ressalta articulações
junto à Artesp e governo do Estado
Damasio ressalta articulações junto à Artesp e governo do Estado - FOTO: Fotos: Mogi News/Arquivo

Três deputados estaduais que representam o Alto Tietê na Assembleia Legislativa do Estado concederam entrevista na tarde de ontem ao grupo MogiNews/DAT sobre o projeto de pedágio em rodovias da região. Estevam Galvão (DEM), Marcos Damasio e André do Prado (ambos do PL) reiteraram suas posições contra a proposta do Estado e apontaram suas respectivas articulações.

Estevam Galvão informou que vem acompanhando o caso desde 2019, quando foi ventilada a possibilidade de instalação, e vem negociando o cancelamento da cobrança. Estevam se reuniu, segundo sua equipe, com o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM), com a diretoria da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e com o governador do Estado, João Doria (PSDB). "Apesar da sinalização anterior do Estado de que não haveria mais cobrança, fui surpreendido com a publicação do edital. Uni forças com as demais autoridades para pressionar o governo e cancelar a decisão", informou.

Por sua vez, André do Prado também declarou publicamente ser contra a instalação de praças de pedágio em Mogi das Cruzes, reiterando que as cobranças podem fazer com que o distrito do Taboão, em Mogi das Cruzes, entre outras áreas à beira da rodovia, percam sua competitividade para a abertura de novas empresas. . "Essa é a minha posição desde que surgiram boatos a respeito, no segundo semestre de 2019. O deputado federal Marcio Alvino e eu continuaremos a somar esforços com deputados, prefeitos, vereadores e a sociedade civil para lutarmos contra esta medida", afirmou.

O representante mogiano na Assembleia Legislativa, Marcos Damasio, também reafirmou sua contrariedade à proposta das praças de cobrança no Alto Tietê. "Já foram feitas várias articulações junto à Artesp, ao governador e vice-governador, ao secretário de Desenvolvimento Regional e à Casa Civil. Estamos batalhando para que a proposta seja retirada e continuamos nesta luta. Nossa região não aceita estes pedágios", concluiu.

Os deputados foram ouvidos três dias após participarem do ato promovido pelo prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Pode), na Mogi-Dutra, em protesto à decisão da agência reguladora Artesp, do governo do Estado, de instalar as duas praças no edital para o trecho chamado Lote Litoral Paulista. A manifestação contou também com o deputado federal Marco Bertaiolli (PSD-SP) e os prefeitos das cidades de Arujá, Luiz Antonio Camargo, e de Ferraz de Vasconcelos, Priscila Gambale (ambos do PSD).

Pelo edital publicado na sexta-feira passada, serão cinco praças a serem instaladas entre as cidades de Arujá e Bertioga. Segundo o cronograma do governo, a assinatura do contrato de concessão está prevista para janeiro de 2022, e o início da cobrança seria em 2024.

Deixe uma resposta

Comentários