Pandemia tem incentivado apoio ao comércio local

A pandemia de Covid-19 evidenciou a empatia e defesa dos micros, pequenos e médios negócios. Nos últimos meses diversas ações de apoio ao pequeno negócio e o comércio local ganharam espaço, especialmente nas redes sociais. A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) acredita que estas iniciativas são essenciais para enfrentar este período desafiador.

Em dezembro de 2019, o Brasil contava com 15,4 milhões de pequenos negócios, número que corresponde a 54% dos empregos formais. Para fortalecer e defender os empreendimentos locais, a ACMC está com a campanha Compre no Comércio Local, que vai sortear R$ 18 mil em vales-compras em lojas parceiras. Ao todo, serão seis sorteios, com dois ganhadores cada, nos quais o primeiro receberá R$ 2 mil e o segundo R$ 1 mil. A primeira rodada acontece hoje.

"As campanhas da Associação Comercial são uma tradição de Mogi. Neste ano, decidimos inovar e realizar uma ação extensa que segue até outubro. Todas as datas mais importantes serão contempladas. Queremos com isso, estimular a compra no comércio local, que é responsável por uma importante fatia dos empregos e geração de tributos. Temos produtos de qualidade, variedade e preços competitivos", ressaltou a presidente da ACMC, Fádua Sleiman.

Com o isolamento social, os empreendedores tiveram que buscar maneiras de se reinventar e continuar trabalhando. No caminho encontraram o apoio importante de clientes que passaram a divulgar os serviços dos pequenos e médios empreendedores. Além disso, redes sociais, como Facebook e Instagram disponibilizaram ferramentas e selos, como Apoie as Pequenas Empresas para aumentar o alcance das publicações.

A ACMC mantém em suas redes sociais uma ação para divulgar os negócios dos associados. Diariamente, são publicadas as postagens dos empreendedores com o selo "ACMC Apoiando o Comércio Local".

O apoio ao pequeno parece ser uma tendência mundial. Um estudo americano realizado pela Sitecore, empresa de software de gestão digital, aponta que 40% dos consumidores gostariam de reduzir sua dependência da Amazon. O comportamento é mais notável entre os mais jovens. Entre os motivos que levam a esta decisão estão a compra de itens de baixa qualidade (21%), melhores escolhas de outros varejistas (21%) e o desejo de apoiar outros varejistas (12%).

"Os pequenos e médios negócios são muito importantes para fortalecer a economia local. Novos empregos e negócios são criados, o dinheiro circula e vários segmentos são beneficiados. Por causa do isolamento social, notamos que muitas pessoas passaram a comprar dos comércios do bairro, o que deve se tornar um hábito", ressaltou Fádua.