Teste para a Covid-19 pode ser comprado por R$ 220 em Mogi

Em um dos estabelecimentos consultados foram comercializados 1,5 mil testes
Em um dos estabelecimentos consultados foram comercializados 1,5 mil testes - FOTO: Mogi News/Arquivo

A estratégia recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a pandemia do coronavírus (Covid-19), que teve início no Alto Tietê em março do ano passado, envolvia a testagem em massa da população, com o objetivo de ter um acompanhamento fiel dos avanços e retrocessos da doença, como uma medida das políticas públicas. Desde então, a busca por exames na rede privada, bem como em farmácias e drogarias, passou a ser uma constante em Mogi das Cruzes.

Segundo dados da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), desde a implantação no varejo do serviço de testagem, no final de abril, foram feitos mais de 6 milhões de exames para Covid-19 no país, sendo destes 4 milhões durante o primeiro quadrimestre deste ano.

Na média da associação, 16 mil brasileiros buscam diariamente uma farmácia para verificar se contraíram ou não a doença. No levantamento feito pela Abrafarma, a taxa de exames positivos realizados nas drogarias e farmácias é de 21% mas, levando em conta os números entre 26 de abril e 2 de maio, a parcela de infectados sobe para 24% dos exames.

Em Mogi das Cruzes, é possível encontrar testes para detecção da Covid-19 por preços que variam desde R$ 100, para o teste rápido de sangue, a até R$ 220 para exames com cotonete (Swab). Os testes estão disponíveis em grandes redes de drogarias quanto em farmácias regionais.

Rafael Lopes, proprietário de uma farmácia no bairro do Mogi Moderno, contou que realizou mais de 1,5 mil testes desde o final de abril de 2020, quando os primeiros testes começaram a ser vendidos em farmácias. "É uma busca que acontece em intervalos regulares, onde há picos na demanda. Neste ano tivemos um aumento na busca por exames, principalmente a partir do mês de fevereiro, e teve um aumento principalmente após o feriado do Dia das Mães, chegando a até 20 atendimentos por dia", contou.

Fabíola Estevam, que atua em uma farmácia no distrito de Braz Cubas, contou que a procura pelos testes tem aumentado, mesmo com o estabelecimento não os disponibilizando. "Sempre que um cliente nos pede um exame, orientamos que procure os equipamentos públicos, como as Unidades Básicas de Saúde (UBS) nos casos de suspeita de Covid-19", explicou.

A Secretaria de Saúde de Mogi das Cruzes informou anteriormente que segue à disposição da comunidade seis UBS para a triagem e acompanhamento de casos suspeitos da doença na cidade. Desde o início do ano, todos os equipamentos realizaram, segundo a pasta, uma média de mil exames por mês até o final do mês de abril.