Hospital Luzia realiza mais de 15 mil internações em 2020

De acordo com o TCE foram realizados 663 mil procedimentos no ano passado
De acordo com o TCE foram realizados 663 mil procedimentos no ano passado - FOTO: Fábio Miranda

O Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, registrou mais de 15 mil internações em 2020, segundo apontamento feito pelo Painel da Saúde do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), nove em cada dez pacientes foram restabelecidos. Entre janeiro e dezembro do ano passado, 445 médicos prestando assistência no local registraram 663.612 procedimentos entre atendimentos, consultas e exames. Toda a operação do ano custou R$ 192 milhões aos cofres públicos. Os valores gastos foram superiores em 4% ao registrado em 2019, ainda que mais atendimentos tenham sido registrados naquele ano e mais médicos estivessem contratados.

Das 15.180 internações acolhidas pelo Luzia de Pinho Melo no ano passado, 2.107 pacientes vieram a óbito na unidade. A taxa de mortalidade da unidade foi de 13,8%, o que permite afirmar que quase nove em cada dez internados foi restabelecido pelo hospital e recebeu alta. No comparativo com o total de internações registradas um ano antes, o número foi menor em 10,6%. A expectativa de que o ano de 2020 registrasse mais interações em razão da pandemia do coronavírus (Covid-19) não se confirmou.

Apesar de em 2019 mais pacientes terem sidos internados, quase 17 mil, a taxa de mortalidade foi menor do que o informado no ano seguinte. Foram contabilizados 1.889 óbitos, o que configura uma taxa de mortalidade de 11,1%. Outra curiosidade é que mais médicos prestaram assistência no Luzia naquele ano do que em 2020. Enquanto 445 profissionais estavam contratados no ano passado, no ano anterior o setor de recursos humanos do hospital tinha que lidar com quase o dobro de médicos, 772 no total. Consequentemente, mais procedimentos foram realizados, 952.940 ao todo pelo valor empenhado de
R$ 184 milhões dos quais R$ 153 milhões, conforme TCE-SP indicou em seu painel, foram utilizados.

Alto Tietê

Os dados fornecidos pelo TCE-SP também dão conta de outros hospitais da região. Ainda em Mogi, o Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti registrou 443 internações e 25 óbitos, a taxa de mortalidade da unidade foi de 5,6%. A produção ambulatorial (atendimentos, consultas e exames) foi de 129.947. Em 2019 o número de internações também foi maior e 608 pacientes foram internados e 35 óbitos registrados.

Em Itaquaquecetuba, no Santa Marcelina 13.154 internações foram contabilizadas e 902 óbitos, compondo uma taxa de mortalidade de 6,8%. O montante de procedimentos produzidos pela unidade foi de 388.787. Um ano antes o número de internações foi 7,8% maior, 14.277 foram recebidos e 810 faleceram.

Em Ferraz de Vasconcelos, no Hospital Regional Doutor Osiris Florindo Coelho 7.610 pacientes foram internados em 2020. Desse total, 628 óbitos foram informados, uma taxa de mortalidade de 8,2%. Mais de 687 mil procedimentos foram realizados. Como em todos os demais hospitais, o número de internações também foi maior e a unidade acumulou 9.260 atendimentos, dos quais 687.

*Texto supervisionado pelo editor.