Internações nas UTIs Covid têm queda de 19 pontos percentuais

Hospital Municipal de Mogi é a referência para o atendimento ao coronavírus
Hospital Municipal de Mogi é a referência para o atendimento ao coronavírus - FOTO: Emanuel Aquilera

A taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para pacientes com coronavírus (Covid-19) em Mogi das Cruzes ainda é elevada e há um mês a cidade ainda vivia o colapso do sistema de Saúde com ocupação superando 93%. De acordo com atualização diária da Secretaria Municipal de Saúde, ontem a situação mais controlada era da Enfermaria - utilizada para reabilitação de infectados com sintomas menos graves.

Nesta segunda-feira a ocupação do conjunto de leitos UTI da rede pública e privada mogiana foi de 73,8%, uma queda de 19,2 pontos percentuais em ralação ao mês passado. Em números totais são 164 leitos, dos quais 121 estão ocupados. Em 24 de abril, portanto, há um mês, a taxa de internação nessa ala hospitalar era de 93,3%. Na ocasião, Dos 149 leitos de UTI existentes na cidade só dez se encontravam livres dos quais apenas um único leito era público.

A taxa atual na Enfermaria é pouco menos preocupante. Conforme atualizou a prefeitura, o acumulado de leitos nas oito unidades hospitalares em Mogi era de 61,7%. Dos 240 leitos, 148 operam ocupados. Há um mês o quadro era bem diferente, na época funcionam 206 leitos, dos quais 149 estavam ocupados.

Regionais

Quando analisados individualmente, as unidades de Saúde sobre responsabilidade do governo do Estado apresentaram taxas bem reduzidas na Enfermaria mas apontam alerta para UTI.

No Hospital Luzia de Pinho Melo, por exemplo, são 46 leitos de Enfermaria com 35% de ocupação e 33 de UTI com 34% de ocupação. Até ontem, no Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti, conforme atualização da Secretaria de Estado de Saúde estão em funcionamento 30 leitos de Enfermaria com ocupação de 65,52% e os 30 leitos de UTI com todos ocupados no momento.

Há um mês a situação também era bem diferentes nessas unidades. No Luzia de Pinho Melo,

A Enfermaria maraca ocupação de 61% e a UTI operava com 76% de sua capacidade. No Doutor Arnaldo já funcionavam 30 leitos de Enfermaria com ocupação de 80,7%, mas a unidade contava apenas com dez leitos de UTI, todos também ocupados na ocasião.

Ontem a ocupação do Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba era de 80% em seus 20 leitos de UTI e 85% nos 20 de Enfermaria. Em abril as taxas eram de 100% em ambas alas hospitalares, a unidade havia acabado de receber dez leitos que hoje completam o total e as novas vagas haviam sido ocupadas em menos de 48 horas.

Em Ferraz de Vasconcelos, o Hospital Regional Doutor Osíris Florindo Coelho registrou nesta segunda-feira índices próximos do limite. Nos 26 leitos de UTI a taxa é 100% e nos 26 de UTI de 96,15%. Há 30 dias a ocupação era bem menos grave, com a mesma quantidade de leitos a UTI registrava taxa de 80,7% e a Enfermaria 61,5%.

Em relação às mortes por coronavírus nas últimas 72 horas, o Alto Tietê registrou 15 mortes causadas pela doença em Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz, Guararema, Mogi, Poá, Santa Isabel e Suzano.

*Texto supervisionado pelo editor.