Mortes por Covid-19 neste ano superam as registradas em 2020

Durante o ano passado foram contabilizados 546 mortes, neste ano foram 665
Durante o ano passado foram contabilizados 546 mortes, neste ano foram 665 - FOTO: Mogi News/Arquivo

O número de óbitos pelo coronavírus (Covid-19) registrados em Mogi das Cruzes em 2021 já supera o acumulado do ano passado. Em menos de cinco meses, a cidade já contabilizou 665 óbitos, ultrapassando o saldo dos nove primeiros meses da pandemia em 2020, quando, entre março e dezembro, 546 mogianos morreram. Os dados foram contabilizados pelo grupo Mogi News com base na atualização apresentada diariamente pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).

Passados 427 dias desde a primeira morte por Covid-19 no Alto Tietê, Mogi registra 1.211 óbitos, é o maior acumulado da região. Só que a distribuição desses casos é bastante desigual, apontando que a letalidade do vírus teve maior impacto nos últimos meses em comparação ao registrado no começo da pandemia.

O ritmo da pandemia em 2021 supera, em disparada, o que a cidade vivenciou no ano passado. Com as mais recentes atualizações de óbitos em Mogi é possível afirmar que mais da metade do total de mortes foi registrado entre janeiro e maio. Dos mais de 1,2 mil óbitos, 54,9% morreram em 2021. Mais da metade do total de casos também foi registrado em um intervalo de tempo inferior ao contabilizado no ano passado, considerando que, neste ano, a pandemia se encontra em seu 5° mês, enquanto no ano passado levou nove meses para ceifar 546 vidas.

Dentro do G5 - conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - Mogi não foi a única a superar o acumulado de óbitos pela Covid-19 do ano passado em tão pouco tempo. Todas as demais cidades que integram o conjunto também comunicaram ultrapassar a marca. Com o 2° pior saldo de óbitos do G5, Itaquaquecetuba já registrou 429 falecimentos neste ano. Em 2020 a cidade marcou 354 mortes. O desequilíbrio, reflexo da maior mortalidade da 2° onda da pandemia, aponta que 54,7% das 783 mortes totais ocorreram entre janeiro e maio deste ano.

Em seguida, Suzano apresentou 455 mortes em 2021 e 288 até dezembro de 2020. No total, 733 suzanenses morreram em razão da Covid-19, a maior parte deles também nos últimos meses. Em Suzano o percentual de óbitos neste ano é um dos mais altos do G5, 60,7%.

Ferraz de Vasconcelos superou há poucos dias o saldo do ano passado. Entre janeiro e maior desde ano foram 186 óbitos contra o acumulado de 183 falecimentos em 2020. Mais equilibrado, desconsiderando o curto intervalo de tempo, 50,4% das 369 mortes ocorreram em 2021.

Por sua vez, Poá comunicou 173 mortes neste ano e 136 no ano passado. No total, 309 poaenses perderam a vida para o vírus, 55,9% deles em 2021.

Vacinas

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) recebe hoje a 25ª remessa de imunizantes contra a Covid-19. Com a chegada do novo lote, que contém 48.689 vacinas, a região totaliza 1.114.274 doses recebidas.

*Texto supervisionado pelo editor.