Primeiros quatro meses fecham com geração de 6 mil empregos

Durante o período analisado ocorreram 40,1 mil admissões e 34,1 mil demissões no G5 regional, disse o Caged
Durante o período analisado ocorreram 40,1 mil admissões e 34,1 mil demissões no G5 regional, disse o Caged - FOTO: Mogi News/Arquivo

O G5 - conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - fechou o 1° quadrimestre do ano com saldo de mais de 6 mil empregos gerados. A atualização do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que Mogi das Cruzes, Suzano e Poá tiveram os melhores resultados enquanto Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos as piores recuperações da região.

No total, nos primeiros quatro meses deste ano, o G5 registrou 40.138 admissões e 34.134 demissões. O saldo resultante da diferença entre contratações e demissões foi positivo para a região em 6.004 novas vagas. A recuperação, no entanto, não cobre o saldo perdido entre janeiro e abril de 2020, quando as cinco cidades juntas fecharam 7.902 postos de trabalho em reflexo do primeiro impacto da pandemia do coronavírus (Covid-19).

Só em abril passado, última atualização disponibilizada pelo Caged, 1.263 vagas foram geradas na região. Mogi liderou o ranking de criação de empregos com 670 vagas e foi seguida por Suzano com 381 e Poá com 162.

O segundo pior resultado do G5 ficou com Itaquá, que, apesar de ostentar a segunda maior população do Alto Tietê, e consequentemente uma das maiores demandas da região, criou apenas 44 postos de trabalho no mês passado. Ferraz fecha a lista com seis novas vagas.

Quando considerado o resultado quadrimestral, o ranking das cidades não sofre alterações. Mogi segue na liderança com a geração de 2.215 empregos, Suzano contribuiu com 1.783 vagas, Poá agregou 890 novos postos, Itaquá 746 e Ferraz 370.

Apesar do saldo positivo para as cinco cidades, nem todas conseguiram superar a perda de vagas registradas no mesmo período do ano passado. A criadora de mais vagas no G5 foi consequentemente a mais afetada no 1° quadrimestre de 2020 quando 3.282 vagas foram encerradas. Alterando a ordem dos rankings anteriores, Itaquá figurou com fechamento de 2.206 vagas, se consolidando como a cidade com pior recuperação da região.

Ainda no ano passado, Suzano seguiu a vizinha com fechamento de 1.458 empregos e Poá sofreu com 598 trabalhadores desempregados naqueles meses. Por fim, Ferraz lamentou o encerramento de 358 postos de trabalho na primeira onda da pandemia.

*Texto supervisionado pelo editor.