Prefeitura expulsa feirantes da Estrada do Mandi

A Prefeitura de Itaquaquecetuba ordenou a retirada da barraca de frutas da Dona Rosilda, localizada na Estrada do Mandi, próximo ao Itaquá Garden Shopping. Desde 2016, a barraca é o único sustento de cinco trabalhadores. De acordo com a feirante, nenhum prazo para retirar as frutas foi dado, o que já acarretou em um prejuízo de mais de R$ 8 mil, em plena crise provocada pela pandemia doa Covid-19.

"Eu preciso de ajuda. Desde o dia 19 de maio, quando recebi a ordem da Prefeitura, eu não consigo mais me alimentar direito nem dormir. É muita preocupação", disse aos prantos, Rosilda Gonçalves.

Expulsa há quatro anos da rodovia Alberto Hinoto (SP-56), a feirante se mudou para a Estrada do Mandi e, com a permissão do proprietário do terreno, limpou o local que era um lixão clandestino e continuou pagando impostos.

"A Prefeitura não apresentou nenhuma justificativa. As funcionárias que me notificaram chegaram a dizer que era implicância dos empresários do Shopping", afirmou.

Desesperada, a vendedora foi obrigada a se desfazer das frutas e já teve um prejuízo de mais de R$ 8 mil nessa semana. A Prefeitura comunicou que emite orientações para remoção da barraca desde 2019 por se tratar de comércio irregular em estrada. O Executivo também afirmou que concedeu, em 20 de maio, um prazo de 30 dias para remoção das mercadorias, mas a venda está proibida.

Texto supervisionado pelo editor*