Em 6 meses, Polícia Judiciária registra 1,5 mil ocorrências

Delegado Deodato é o responsável pelos trabalhos na CPJ de Mogi das Cruzes
Delegado Deodato é o responsável pelos trabalhos na CPJ de Mogi das Cruzes - FOTO: Mogi News/Arquivo

Em seis meses de operação, a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Mogi das Cruzes registrou mais de 1,5 mil ocorrências. Inaugurada em novembro de 2020, a base centraliza os esforços da Polícia Civil, Militar e Guarda Civil Municipal (GCM) no combate ao crime em Mogi. A estrutura foi estabelecida em um trabalho conjunto do Estado de São Paulo por meio da Polícia Civil e a Prefeitura.

Além das 1.576 ocorrências registradas pela unidade desde sua inauguração, foram realizadas 359 prisões em flagrante e 153 capturas. Uma das promessas da CPJ era agilizar as prisões em flagrante proporcionando velocidade no retorno dos policiais para rua, maximizando o tempo de policiamento ostensivo.

Sobre a realização de um de seus principais objetivos proposto durante a inauguração, o delegado de polícia e coordenador da CPJ Deodato Rodrigues Leite, destacou que o tempo de permanência na CPJ depende do número de presos e a natureza da ocorrência.

"Mas é possível afirmar que houve melhora no protocolo de recebimento das ocorrências e por consequência o tempo despendido diminuiu. Os agentes de segurança permanecem na CPJ o tempo necessário para a elaboração das ocorrências, retornando o mais rápido possível para o policiamento", pontuou.

A estrutura também surgiu da necessidade de desafogar os atendimentos prestados no 1° DP, que acabou ficando sobrecarregado com o crescimento da cidade e o consequente aumento do número de incidências criminais.

A unidade centraliza também as investigações da região e recebe público que tenha sido vítima de algum crime e precise registrar seu boletim de ocorrência. A proximidade é um facilitador para início das investigações que devem começar imediatamente assim que o flagrante for registrado.

Desde sua inauguração o atendimento é prestado 24 horas mediante controle por senhas para dar celeridade ao processo ao contrário do que ocorria ordinariamente em outras bases. No CPJ também funciona a Unidade de Inteligência Policial, Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) e a Delegacia do Patrimônio.

*Texto supervisionado pelo editor.