Feirantes protestam contra mudanças de barracas

Mais de uma centena de feirantes de Itaquaquecetuba protestaram neste final de semana contra a mudança na organização da tradicional feira livre da Vila São Carlos. Segundo a Federação dos Feirantes do Estado de São Paulo, a modificação na disposição das barracas imposta pela Prefeitura acarretou prejuízo de 75% nas vendas do dia.

Em live em suas redes sociais, o prefeito Eduardo Boigues (PP) ameaçou substituir os feirantes que não voltarem ao trabalho. A medida poderá afetar mais de 800 famílias em plena pandemia do coronavírus (Covid-19).

"Tenho hoje o cadastro de mais de 200 feirantes esperando para trabalhar na cidade. Se os feirantes da Vila São Carlos não quiserem voltar eu vou fazer um chamamento público e vamos ocupar o lugar", declarou o prefeito após uma carreata com carro de som sair pelas ruas de Itaquá protestando contra a mudança no largo da feira, no sábado passado.

A proibição de montar barracas dentro do largo veio depois que a Prefeitura pintou uma pista de corrida no espaço. Os feirantes utilizavam o espaço todos os sábados por 47 anos mas o novo espaço de lazer obrigou os comerciantes a recuarem para as ruas adjacentes ao largo.

A mudança gerou problemas logísticos, as estreitas vias não comportam barracas e caminhões, além disso, o local que servia de estacionamento para clientes agora é ocupado por feirantes. A confusão custou caro aos trabalhadores que protestaram após terem os pedidos de retorno para dentro do largo negados.

A ameaça de substituição dos feirantes descontentes com a mudança acirrou os ânimos e gerou uma reação da Federação dos Feirantes do Estado de São Paulo. "Ele está ameaçando trabalhadores que estão reivindicando seus direitos Já estamos buscando interlocução com o Ministério Público e o Ministério do Trabalho para resolver essa questão. Como prefeito, Eduardo Boigues não possui autonomia para fazer esse tipo de ameaça", pontuou o presidente da federação Guilherme Diniz.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura solicitando esclarecimentos sobre as declarações do prefeito e pedindo um estudo de impacto sobre a mudança na feira mas até o fechamento desta edição não obteve retorno.