Comércio e Prefeitura buscam selo de boas práticas sanitárias

Medida seria útil para identificar os lojistas que estão respeitando as medidas de restrição e de isolamento
Medida seria útil para identificar os lojistas que estão respeitando as medidas de restrição e de isolamento - FOTO: Mogi News/Arquivo

Representantes do setor comercial e do Poder Executivo em Mogi das Cruzes estão atuando em conjunto para a possível elaboração de um selo de boas práticas de estabelecimentos essenciais e não-essenciais no contexto da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A proposta foi elabora com a intenção de contribuir para a retomada das atividades econômicas sem aumentar o risco de contaminação.

A sugestão foi apresentada por entidades como o Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio) e a Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC).

Segundo o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, o selo teria como principal objetivo legitimar o trabalho realizado pelos estabelecimentos em manter todos os protocolos sanitários durante o período da pandemia.

A sugestão da criação de um selo voltado aos estabelecimentos comerciais responsáveis também encontrou apoio na Câmara de Vereadores de Mogi das Cruzes.

No último dia 10, os vereadores Eduardo Ota (Pode), Marcos Furlan (DEM), Milton BiGêmeos (PSD) e Malu Fernandes (SD) protocolaram a indicação 1.180/2021, sugerindo a criação do selo Evento Seguro para a retomada da economia de locais autorizados a funcionar sob as regras do Plano São Paulo.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Mogi das Cruzes informou que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico está participando na elaboração do selo de boas práticas, com o intuito de valorizar empreendedores comprometidos com o cumprimento das regras de segurança sanitária. "A intenção é implementar a iniciativa juntamente com outras ações voltadas ao comércio que estão sendo planejadas em conjunto com as entidades representativas", apontou em nota.

A administração municipal também citou algumas das ações que tomou desde o início do ano com a meta de proteger e incentivar a atividade comercial na cidade, como o Plano de Cooperação Empreendedores Mogianos, a prorrogação do vencimento de parcelas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Imposto sobre Serviços (ISS), o programa Auxílio Empresarial Mogiano e o programa Mogi Conecta, que unifica o acesso à Sala do Empreendedor, o Mogi Conecta Emprego, Banco do Povo, Polo Digital e Escola de Empreendedorismo e Inovação em apenas um serviço.

Deixe uma resposta

Comentários