Refis 2021 de Suzano começa ser discutido hoje na Câmara

Presidência da Câmara já havia pedido antecipação do projeto para o 1º semestre
Presidência da Câmara já havia pedido antecipação do projeto para o 1º semestre - FOTO: Raziel Ueda/Câmara de Suzano

O projeto de lei complementar que institui o Programa de Recuperação e Estímulo ao Pagamento de Débitos Fiscais (Refis) 2021 começará a tramitar hoje na Câmara de Suzano. A propositura foi lida na sessão de ontem e será encaminhada às Comissões Permanentes para análise.

Em maio, o vereador Leandro Alves de Faria (PL), o Leandrinho, solicitou, através de um requerimento, a realização deste programa que facilita o pagamento de dívidas municipais. O parlamentar também havia pedido a antecipação da ação, já que geralmente acontece no segundo semestre de todo ano.

Os parlamentares aprovaram seis itens ontem: o projeto de lei complementar que atualiza o Plano Municipal de Educação, de autoria do Executivo (foi aprovado com uma emenda aditiva); o projeto de lei, de autoria do vereador Rogerio Castilho (PSB), que institui em Suzano o Projeto de prevenção da violência doméstica com a estratégia de Saúde da Família; o projeto de lei, de autoria da Mesa Diretiva da Câmara, que altera a lei municipal nº 5186 de 2019; a moção de apoio, de autoria do vereador Leandrinho, para a ampliação do prazo da instituição da "taxa do lixo" e a moção de aplauso, de autoria do vereador Marcos Antonio dos Santos (PTB), o Maizena, para o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Imigração

Os vereadores aprovaram ainda uma moção de aplausos de autoria do parlamentar Artur Takayama (PL) destinada à colônia japonesa pelos 113 anos da Imigração no Brasil. "Não posso deixar esta data tão especial passar em branco", disse o vereador ao discursar na Tribuna e exibir um vídeo com fotografias das entidades japonesas da cidade. "É uma singela homenagem", afirmou o parlamentar.

Tribuna

O vereador Fábio Diniz (PTB) falou sobre o início da vacinação contra o coronavírus (Covid-19) para funcionários do transporte público.

Já o vereador Leandrinho apontou irregularidades no relatório enviado pelo secretário de Saúde, Pedro Ishi, ao seu gabinete. "Não é perseguição. Depois que recebi o relatório eu fiquei bastante preocupado", disse. Segundo o parlamentar, no documento assinado por Ishi, em relação aos procedimentos feitos pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), há dados com data de novembro de 2021. "Estão prevendo o futuro. O secretário ou alguém da secretaria é a 'mãe Dináh' (Benedicta Finazza, mais conhecida como Mãe Dináh, foi vidente brasileira). Ia até fazer um pedido: a previsão de quando vai acabar a pandemia e quando a saúde e Suzano vai funcionar 100%", ironizou. "População tem que ter transparência do uso do dinheiro público. Isso é o descaso da resposta com essa Casa de Leis", frisou.

O vereador Antonio Rafael Morgado (PDT), o professor Toninho Morgado, discursou sobre um requerimento de sua autoria para o retorno da fiscalização de trânsito na rodovia Índio Tibiriçá (SP-31). De acordo com ele, desde a retirada dos equipamentos houve aumento nos acidentes automotivos.

Os parlamentares André Marcos de Abreu (PSC), o Pacola, e Edirlei Junio Reis (PSDB), o professor Edirlei, falaram sobre a falta de segurança na região da Casa Branca. Eles argumentaram que a criminalidade aumentou muito nos últimos dias e pediram soluções do Executivo.