Projeto de Escola Clínica é apresentado a grupo de mães

Mães receberam a informação de que o local está sendo construído perto da AACD
Mães receberam a informação de que o local está sendo construído perto da AACD - FOTO: Divulgação/PMMC

As secretarias municipais de Educação e Planejamento e Urbanismo apresentaram na tarde de ontem, no prédio da Secretaria de Educação, o projeto arquitetônico da Escola Clínica Transtorno do Espectro Autista. Um grupo de mães e técnicos das secretarias de Educação e Planejamento participou da elaboração da proposta, que vem sendo construída em conjunto desde março. As obras do equipamento, que ficará na avenida Pedro Romero ao lado da AACD, terão início ainda este ano.

"No início estávamos trabalhando mais no aspecto clínico do que no perfil de escola. Com a participação da equipe da Educação, este projeto ganhou muito com uma visão estratégica. É um sonho que já começa a se materializar", disse o secretário de Planejamento e Urbanismo, Claudio Rodrigues. O projeto foi apresentado pela arquiteta Fabíola de Almeida Rodrigues, que destacou a participação de uma equipe de 11 profissionais da Pasta no desenvolvimento da proposta.

O secretário de Educação André Stábile falou sobre o "Nosso propósito é que todas as crianças tenham acesso a educação de máxima qualidade. Quem precisa mais , merece mais atenção e primeiro. Começarmos com este projeto que é mais uma prova de que estamos passando agora por um novo momento, de transformação em uma gestão democrática, participativa e colaborativa", disse.

A Escola Clínica será construída em um terreno de 2 mil metros quadrados (m²) e terá a área construída de mil m². A unidade terá oito setores: Pedagógico, Psicopedagógico, Recepção/Administração, Clínico, Apoio/Serviços, Convívio e Circulação e áreas livres. "Uma das propostas é trazer os pais para dentro da escola. Criar um sentimento de unidade e cooperação", observou o secretário de Educação.

A setorização foi feita de acordo com a compreensão das pessoas com transtorno do espectro autista sobre as atividades diárias, favorecendo sua autonomia. Os espaços atendem as terapias e aulas. O novo equipamento também conta com recursos de sustentabilidade, como o reaproveitamento de água, placas fotovoltaicas, iluminação e ventilação natural e arborização.

O plano de trabalho da Escola Clínica será elaborado com a participação do grupo de mães e profissionais para definir os tempos, horários e fazeres. "Ficamos muito felizes com o que vimos. A parte estrutural está muito boa. Queremos ver como será o plano de trabalho para que o autista possa usufruir de todo esse ambiente e para que isso seja participativo e efetivo", disse Lídia Pelegrino, da Rede Unificada Nacional e Internacional (Reunida) em prol dos direitos dos autistas e do Instituto Somos Notáveis.

Participaram da reunião Fabíola Prince, que também integra as duas instituições; Jocélia Camargo, presidente do Instituto Somos Notáveis; Fátima Aparecida de Miranda Valério e Marcela Lourenço, que representam o Instituto Ativar, Projeto Crie e Reunida; Diva Batista, da Resiliência Azul; Johnny Fernandes da Silveira e Raphael de Oliveira de Moraes, responsáveis pela Coordenadoria da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Assistência Social, Juliana Nascimento de Souza Mattos, diretora da Emesp Profª Jovita Franco Arouche e Rosangela Vergara, pedagoga especialista do Pró-Escolar.