Prefeituras buscam reforçar o tratamento pré e pós-Covid-19

Além da preocupação com o avanço do vírus, existe os cuidados com recuperação
Além da preocupação com o avanço do vírus, existe os cuidados com recuperação - FOTO: Emanuel Aquilera

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que em um primeiro momento exigiu de gestores públicos a infraestrutura, mão-de-obra e medicamentos para atender à ampla demanda de casos de internação, começa a encontrar em seu primeiro ano uma nova demanda: a recuperação de pacientes que apresentam sequelas da doença.

Segundo médicos, o impacto do novo vírus pode atingir a capacidade cardíaca e de respiração, em um processo chamado de fibrose, onde as partes atingidas pela doença podem ter cicatrizes ou enrijecimento. Especialistas ouvidos anteriormente pelo grupo MogiNews/DAT reiteraram a importância de se atentar ao quadro pós-alta para evitar danos colaterais.

A reportagem entrou em contato com as cidades mais populosas do Alto Tietê para averiguar o número de pacientes que haviam sido admitidos para tratamento de reabilitação com sequelas da doença. Também foi questionado o número de pessoas que procuraram as Unidades Básicas de Saúde (UBS) com sintomas da doença para investigação, o chamado 'atendimento pré-Covid'.

A Prefeitura de Poá informou que, desde o início do ano, 5.957 pessoas procuraram as UBS do município com sintomas, com 2.870 casos confirmados. E, desde o início do ano, 24 pessoas foram encaminhadas para a reabilitação com sequelas da doença, com dois pacientes já recebendo alta.

A Secretaria de Saúde de Suzano, por sua vez, computou desde o início da pandemia em março de 2020 62.230 casos suspeitos de síndrome gripal, com 19.877 casos. "Destes, 58 seguiram com acompanhamento específico para tratar de sequelas na rede pública de Saúde", informou em nota.

A Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio de sua Secretaria Municipal de Saúde, até o fechamento da matéria realizava o levantamento dos números de casos suspeitos atendidos pelo sistema de triagem pré-Covid. Já o centro de atendimento Pós-Covid, localizado no distrito de Jundiapeba, atendeu 154 pacientes desde a sua abertura em 16 de abril. "Na alta, o paciente é encaminhado ao Núcleo de Avaliação Física (NAF, para total recuperação física e fortalecimento da massa muscular", informou em nota.

Segundo a Prefeitura de Mogi das Cruzes, as demandas estão dentro das previsões iniciais. "O Atendimento pré-Covid segue a alta das notificações e a orientação, cada vez mais consolidada, pela busca de tratamento logo nos primeiro sintomas. E o pós-Covid foi criado para justamente garantir respaldo de atendimento aos pacientes curados ou pós-alta de internação que apresentam algum tipo de sequela da doença".