Calendário prevê oficinas de fotografia e cinema

As atividades online do programa Pontos MIS, do Museu da Imagem e do Som, continuam acontecendo e podem ser desfrutadas por artistas e todos os interessados de Mogi das Cruzes. Entre esta e a próxima semana, há duas oficinas na programação, sendo uma de fotografia e a outra de cinema. Todas são gratuitas e transmitidas de forma online, via Zoom.

A oficina de fotografia é destinada a pessoas com idade a partir dos 16 anos e ocorre todos os dias desta semana, até sexta-feira. A ação é voltada para fotógrafos amadores e profissionais, artistas e interessados no assunto. Intitulada Conexões Fotográficas, ela é comandada por Natália Tonda e tem duas horas de duração, sempre das 19 às 21 horas.

A proposta é apresentar um breve panorama da fotografia moderna brasileira à contemporânea e incitar uma reflexão desse tipo de arte para além do campo comercial. A oficina será dividida em dois blocos, sendo o primeiro destinado à fotografia moderna e o segundo para a contemporânea e o fotojornalismo atual. Haverá também debate entre os participantes, que terão a oportunidade de expandir seus conhecimentos a respeito do tema.

Natália Tonda é fotógrafa de formação e professora de fotografia na Escola Vera Cruz Atuou como produtora nos seminários do MASP trabalhou como fotógrafa da 29º Bienal e também atuou com produção cultural na exposição Atualmente, ministra oficinas e cursos de fotografia, além de atuar como freelancer e assessora em projetos fotográficos e cinematográficos

Já na próxima semana, será realizada de segunda a sexta-feira a oficina "A transformação dos monstros no cinema: Das criaturas clássicas ao horror humano", com Carlos Primati. A atividade também é voltada para pessoas com idade a partir dos 16 anos e será sempre das 15 às 17 horas.

A proposta da palestra é demonstrar como a representação de diferentes criaturas assustadoras nas telas, desde os clássicos monstros sobrenaturais até seres humanos de comportamento irracional, ajuda a compor um complexo panorama sobre a noção de bem e mal, bonito e feio, natural e sobrenatural, gerando a reflexão sobre o que é "monstruoso".

Carlos Primati é pesquisador de cinema fantástico, crítico, editor, tradutor e professor de cursos livres. Ministrou diversos cursos pelo MIS-SP (Museu da Imagem e do Som), abordando temas como Expressionismo Alemão, Alfred Hitchcock, História do Horror, Ficção Científica da Década de 1950, Horror no Cinema Brasileiro e Zé do Caixão.