Ações do 1º quadrimestre são apresentadas

A Secretaria de Educação de Mogi das Cruzes apresentou ontem as ações referentes ao primeiro quadrimestre deste ano na Câmara Municipal, com destaque para a gestão da pandemia da Covid-19 na Educação. A apresentação foi dividida nas sete dimensões educacionais: Políticas Públicas, Profissionalização da carreira e formação docente, Boas práticas pedagógicas, Administração dos ambientes educativos, Gestão democrática, participativa e colaborativa, Articulação de parcerias intersetoriais e Sistemas de monitoramento e avaliação dos indicadores.

"A antiga lei de organização administrativa da Prefeitura tem mais de 10 anos e apresenta uma visão vertical, hierárquica e compartimentada, o que não dá mais conta das respostas que precisamos. A Mandala Educacionista e as sete dimensões da Educação apresentam uma visão sistêmica que atende as premissas de um governo mais eficiente e serviços públicos de mais qualidade. Essa visão também será aplicada em outras secretarias", disse o secretário André Stábile, que foi acompanhado pelo secretário adjunto, Caio Callegari.

A importância de um pacto municipal pela educação foi destacada pelo secretário. "Estamos criando um pacto em favor da educação e do direito de aprender das crianças. Com a pandemia tivemos um retrocesso de aproximadamente 21 anos no que se refere à evasão e ao abandono", disse o secretário. Antes da pandemia havia 2,7 milhões de crianças fora da escola, o último dado da Unicef de junho deste ano aponta mais de 5 milhões nesta situação, mesmo número do ano 2000.

Sobre a pandemia, Stábile destacou que o trabalho das escolas foi intensificado no período. "As escolas não pararam e o trabalho foi intensificado. Os professores fizeram um grande esforço e os servidores e as equipes gestoras atuaram na entrega de kits de alimentos para as famílias e também tivemos a formação das Brigadas da Pandemia formada por servidores que contribuem no cumprimento dos protocolos nas escolas", disse.

No primeiro quadrimestre foi criado um protocolo sanitário com apoio da Secretaria de Saúde com mais de 100 regras, que foram verificadas nas vistorias das unidades escolares. Para a retomada gradual também foi elaborado o Guia Prático para o Retorno das Atividades Escolares. A Brigada da Pandemia na Educação, colegiado com representantes de diferentes setores da educação, evoluiu para a formação do Gabinete de Articulação para o Enfrentamento dos Efeitos da Pandemia sobre a Educação (Gaepe), que terá representantes de 18 órgãos, dentre eles o Ministério Público e o poder judiciário.

A primeira infância é prioridade. Uma das metas é até o final da gestão zerar a fila de vagas em creches, que hoje está por volta de 3 mil crianças. O secretário também destacou a formação dos professores com grandes especialistas do Brasil e de outros países. "É um ecossistema que vai conduzir Mogi para o alto desempenho", disse. Este processo de formação e a construção do currículo para o próximo ano contará com a participação dos docentes.

A Pasta é responsável pelo atendimento de mais de 46 mil alunos e 211 unidades escolares. O orçamento previsto para este ano é de 422.197.715,53, sendo que foram empenhados no 1º quadrimestre R$ 189.293.112,63. Dentre os recursos recebidos a receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), teve um aumento de 11,39%. "Todos esperávamos uma redução devido à pandemia e verificamos nos últimos meses, um aumento que possibilita investir mais na qualidade da aprendizagem e na ampliação de vagas", disse o secretário.