Mogi registra o primeiro mês com saldo negativo neste ano

Setor de Construção Civil teve o fechamento de 143 vagas de trabalho formal
Setor de Construção Civil teve o fechamento de 143 vagas de trabalho formal - FOTO: Mogi News/Arquivo

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou o primeiro saldo negativo deste ano do município de Mogi das Cruzes, no mês de maio, quando as contratações formais foram inferiores aos desligamentos. Desde janeiro, as admissões eram sempre superiores às demissões, apesar de todo o cenário de desemprego gerado pela pandemia de Covid-19.

Em maio, o saldo negativo foi de 129 postos, já que 3.541 pessoas foram demitidas de seus empregos de carteira assinada e outras 3.412 foram contratadas também formalmente. Apenas no setor de Serviços, o saldo negativo foi de 297, pois enquanto 1.893 funcionários foram contratados, 2.190 foram demitidos em Mogi.

Outro setor que obteve um saldo negativo foi a Construção, que encerrou o mês de maio deste ano com menos 143 postos de trabalho gerados. No mês, segundo o Caged, 281 colaboradores foram contratados formalmente nesta área, mas 424 foram dispensados.

Por outro lado, os setores de Indústria, Comércio e Agropecuária fecharam maio com saldos positivos, mas que, ainda assim, não foram suficientes para mudar o quadro geral de todas as áreas juntas.

Em Itaquaquecetuba, o cenário trabalhista foi diferente do município de Mogi, já que o saldo de maio foi positivo, com uma geração de 274 postos de trabalho. Apesar das 1.542 demissões de colaboradores com carteira assinada, outros 1.816 funcionários foram contratados formalmente.

Com exceção do setor de Agropecuária, todos os outros (Indústria, Comércio, Construção e Serviços) obtiveram saldos positivos. Menos um posto de trabalho foi registrado na área da Agropecuária, já que duas pessoas foram demitidas e apenas uma foi contratada em um cargo formal.

Além disso, em Suzano o saldo positivo do mês de maio deste ano foi superior ao de Itaquá, com 1.058 postos de trabalho criados por meio da contratação de 2.957 pessoas e a demissão de 1.899. Na cidade, nenhum setor registrou saldo negativo. O maior superávit foi na área de Serviços, com a geração de 828 empregos.

Ainda de acordo com o Caged, Ferraz de Vasconcelos teve um saldo positivo de 123 empregos no mês retrasado, quando houve a contratação de 510 pessoas e o desligamento de outras 387. Nenhum setor apresentou saldo negativo no município.

Poá encerrou o mês também com um saldo positivo, alcançando a geração de 83 postos de trabalho. Ao todo, enquanto 935 funcionários deixaram seus respectivos empregos, outros 1.018 foram contratados formalmente. Apenas no setor de Serviços houve uma queda que resultou em menos 41 empregos, sendo que 641 foram admitidos e 682, desligados.

Deixe uma resposta

Comentários