Alto Tietê começa os planos para retomada pós-pandemia

Proposta da Prefeitura é deslocar leitos e equipar outras unidades hospitalares
Proposta da Prefeitura é deslocar leitos e equipar outras unidades hospitalares - FOTO: Divulgação/PMMC

A pandemia da Covid-19, iniciada no Brasil em março de 2020, mudou as prioridades dos municípios em mais de um ano e três meses, com investimentos na área da Saúde, principalmente em leitos e equipamentos. Com o aumento do ritmo da campanha de vacinação e a expectativa do governo do Estado de vacinar toda a população adulta até o final de setembro, as cidades mais populosas do Alto Tietê começam a planejar a rede municipal de Saúde para o cenário pós-pandêmico.

A Prefeitura de Mogi das Cruzes informou que, desde o início das aquisições municipais, trabalha com a perspectiva de reaproveitamento de todos os equipamentos e mobiliário para outras unidades de saúde. A Santa Casa de Suzano, segundo a Secretaria de Saúde, já estaria retomando cirurgias eletivas de Ortopedia, que representam uma das maiores demandas na rede municipal.

"O governo do Estado está consultando suas unidades para um cronograma de retomada das cirurgias eletivas. Ainda não há uma previsão, mas a expectativa é que o trabalho comece pelas cirurgias de catarata", explicou a administração.

Sobre a atenção aos pacientes pós Covid-19, a Prefeitura confirmou que continuará o atendimento já realizado àqueles que apresentam sequelas pelo tratamento.

A Prefeitura de Suzano informou que os espaços hoje dedicados ao covidário, como no Pronto-Socorro Municipal, serão destinados às suas funções originais, assim como os equipamentos usados pela rede municipal - as cirurgias, no entanto, dependem da autorização do governo do Estado e serão retomadas com a queda constante das taxas de internação.

A Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos informou por nota que a administração de leitos de Covid-19 é do Hospital Regional, de responsabilidade do governo do Estado, e que não houve tratativas neste sentido até o momento - o mesmo se aplica às cirurgias eletivas. "O acompanhamento dos pacientes é realizado pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família. A reabilitação está sendo feita pela fisioterapia nos casos de sequelas respiratórias e pelas UBSs nos casos leves", apontou.

A Secretaria de Saúde de Itaquaquecetuba informou que o imóvel que hoje abriga a Central de Atendimento Covid-19 originalmente é destinado ao Centro de Saúde Infantil, que o planejamento está mantido para após a pandemia e que os leitos do Estado voltarão para a logística dos equipamentos estaduais. A Pasta informou que todas as cirurgias eletivas são encaminhadas à Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), e que a cidade já dispõe de protocolos para casos leves, moderados e graves.

Poá esclareceu que os espaços dedicados à doença são leitos existentes anteriormente para a clínica médica, retornando aos seus propósitos originais, e que o município não realiza em escala local cirurgias eletivas. "Acreditamos que os atendimentos de casos de Covid-19 existirão permanentemente, como de outras patologias, com vacinações anuais dentro do calendário de imunização. A Secretaria de Saúde está implantando um ambulatório de atendimento pós-Covid de sequelas pela doença", informou.

Deixe uma resposta

Comentários