Prefeituras sustentam que vacina foi aplicada no prazo

Imunizante é um dos mais utilizados na prevenção
Imunizante é um dos mais utilizados na prevenção - FOTO: Tânia Rêgo/Agência Brasil

As secretarias de Saúde de quatro cidades do Alto Tietê contestaram a informação divulgada ontem que doses de vacina contra o coronavírus (Covid-19) teriam sido aplicadas na população fora da data de validade. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo.

Segundo o levantamento, cerca de 29,5 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca teriam sido inoculadas fora da data de validade. A declaração toma por base os bancos de dados do DataSUS, da Sala de Apoio à Gestão Estratégica (Sage) e do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Covid-19. Em todo o Estado de São Paulo, foram cerca de 3,6 mil doses vencidas que foram encaminhadas para a população.

O Alto Tietê teria, segundo a reportagem, 52 pessoas com o imunizante fora da especificação. Mogi das Cruzes teria 33 unidades; em segundo lugar vem de Arujá, com seis doses. Em terceiro Poá, com cinco doses; e haveria quatro doses em Suzano e Itaquaquecetuba.

A Prefeitura de Mogi declarou, em nota, que não houve distribuição de lotes vencidos ou aplicação de doses fora da validade. "Dos casos já apurados pela Vigilância Epidemiológica, a falha detectada foi de sistema, dos dados represados no sistema VacVida, que podem causar diferença entre a data aplicada e a data registrada. É importante ressaltar que o sistema do governo estadual teve diversas inconsistências no início da vacinação e também apresentava problemas de comunicação com o Ministério da Saúde, o que gerava atrasos na informação", apontou.

A Secretaria de Saúde de Mogi informou que já está fazendo um levantamento nominal dos 33 moradores que constam na lista, que serão convocados pela Vigilância Epidemiológica para esclarecimento, transparência e segurança do paciente. Sobre a relação de vacinados, os dois estabelecimentos de saúde - um estadual e outro particular - já foram notificados para o início das apurações.

A Prefeitura de Suzano informou em nota que as doses recebidas de um dos lotes indicados como problemáticos foram aplicadas no dia 5 de fevereiro, antes da data de vencimento de 14 de abril, aos trabalhadores da Saúde. "É importante destacar que a Vigilância Epidemiológica realiza todos os procedimentos necessários em relação ao armazenamento, transporte, manuseio e aplicação dos imunizantes nos públicos atendidos, especialmente a checagem do prazo de validade", concluiu.

Itaquaquecetuba informa que recebeu no dia 26 de janeiro o lote com 600 doses da Astrazeneca com validade para 14 de abril, aplicando parte do estoque nos profissionais da Saúde no Centro de Especialidades de Itaquaquecetuba (CEI), e que a outra parte foi encaminhada para o Hospital Santa Marcelina para seus profissionais, o que ocorreu dentro do prazo.

A Prefeitura de Poá também informou que os lotes da vacina mencionados na Imprensa foram aplicados dentro do prazo de validade. "Os sete casos citados pelo jornal, correspondem apenas a erro de digitação no sistema VaciVida", explicou. Arujá não enviou resposta à reportagem.

 

TIRE SUAS DúVIDAS SOBRE A VALIDADE DA VACINA OXFORD/ASTRAZENECA

Caso você tenha recebido a vacina da Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19, confira o seu cartão de vacinação, no campo “LOTE”, abaixo da data de imunização. Caso tenha recebido a sua dose de um destes lotes depois da data de vencimento, o Ministério da Saúde orienta procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima para informar o ocorrido, e receber as orientações necessárias. Caso tenha recebido antes do vencimento, não há motivo de preocupação - o mesmo se aplica se sua vacina for da Pfizer, Janssen ou Coronavac.

4120Z001 (29 de março)
4120Z004 (13 de abril)
4120Z005 (14 de abril)
CTMAV501 (30 de abril)
CTMAV505 (31 de maio)
CTMAV506 (31 de maio)
CTMAV520 (31 de maio)
4120Z025 (4 de junho)

Deixe uma resposta

Comentários