Estupros crescem 69% em maio na comparação com ano passado

Delegacia de Defesa da Mulher é a única especializada em Mogi das Cruzes
Delegacia de Defesa da Mulher é a única especializada em Mogi das Cruzes - FOTO: Divulgação

Os casos de estupro em Mogi das Cruzes, denunciados no último mês aumentaram no comparativo com as ocorrências registradas em maio do ano passado. O último levantamento da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) apontou um acréscimo de 69% na quantidade de estupros entre estes dois períodos.

No mês anterior, nas delegacias da cidade, entre elas a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) houve um total de 56 estupros denunciados. Em contrapartida, há um ano a Secretaria Estadual de Segurança registrou 33 casos.

O crime está previsto no Código Penal e foi instituído no dia 7 de dezembro de 1940, na lei nº 2.848. "Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso", define a lei como estupro.

Participa da mesma pena quem pratica essas ações com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência, nesse caso sendo enquadrado em estrupo de vulnerável.

Em Suzano, os estupros aumentaram de 32 para 40 de maio do ano anterior para maio deste ano, um acréscimo de 25%. Nas cidades de Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos, foram denunciados em maio deste ano 55 crimes, sendo que no ano passado foram 22 estupros, infornados.

No mesmo período de 2020 houve 41 e nove casos em ambas cidades, sucessivamente, um aumento de 43% e 144%. Percentualmente, os estupros em Poá cresceram em 33%, passando de 12 para 16 em maio de 2020 e no último mês.

Com exceção de Poá e Itaquá, os casos de lesão corporal dolosa, cometidos intencionalmente, também cresceram neste mesmo período. O crime está inserido no capítulo dos crimes contra a vida, no artigo 129 do Código Penal, que pune a conduta de alguém ofender a integridade física ou a saúde de outra pessoa.

O mencionado artigo prevê quatro formas de lesão corporal: lesão leve, grave, gravíssima e seguida de morte. Enquanto ocorreram 255 crimes deste em maio de 2020 em Mogi, no mesmo mês deste ano o total foi de 347, 36% a mais.

Em Suzano e Ferraz, no ano passado a Secretaria Estadual de Segurança somou 291 e 150 lesões corporais dolosas, sendo que no mês passado houveram 332 e 169, respectivamente. Ou seja, mais 14% e 12% nas duas cidades.

Roubo de cargas

Em três das cinco cidades com maior número populacional, Mogi, Itaquá e Suzano, estão registrados aumentos de 85%, 12% e 72%, respectivamente nos crimes de roubo de cargas. No município mogiano, estes roubos passaram de sete para 13; em Itaquá de 32 para 33 e em Suzano, de 17 para 30.