Poá estende campanha de vacinação contra gripe

Vacinação deveria acabar amanhã, mas foi estendida pelo Ministério da Saúde
Vacinação deveria acabar amanhã, mas foi estendida pelo Ministério da Saúde - FOTO: Rodrigo Nagafuti/Secom Poá

O Departamento de Vigilância em Saúde de Poá estenderá a campanha de vacinação contra a gripe a toda a população com mais de seis meses, a partir da próxima segunda-feira. A ação seguirá em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), das 9 às 15 horas. A ampliação segue as diretrizes do Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo (CVE).

Conforme os dados divulgados pelo setor, na última quinta-feira, 21.063 poaenses do público-alvo já foram imunizados contra o H1N1, H2N3 e a influenza B. Entretanto, a ampliação tem como objetivo alcançar o maior número de pessoas possíveis.

"A data do encerramento da campanha estava prevista para o dia 8 de julho, mas como a cobertura vacinal este ano está baixa, o Ministério da Saúde resolveu ampliar para toda a população até durarem os estoques e Poá seguirá em consonância com todos os órgãos de Saúde a fim de melhorar a cobertura vacinal contra esta doença", explicou o diretor Leonardo Barbosa Garcia.

Ainda segundo o responsável, a vacinação contra a gripe é muito importante, porque assim se previne de diversos problemas decorrentes da doença causada pelo os vírus H1N1, H3N2 e influenza B. "Por meio dessa vacina, o munícipe pode evitar internações, óbito e a sobrecarga nos serviços de Saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com os do novo coronavírus (Covid-19)", disse.

Conforme o balanço apresentado pelo Departamento de Vigilância em Saúde, a campanha de vacinação contra a influenza já imunizou 5.383 crianças com idade entre seis meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, 659 gestantes, 1.866 trabalhadores da Saúde, 1.997 pessoas portadoras de comorbidades, 96 puérperas, 10.092 idosos 60 , 788 profissionais da Educação da rede pública e privada, 19 pessoas dotadas de deficiência permanente, 19 funcionários do sistema prisional, 44 caminhoneiros, 59 representantes da força de salvamento e segurança, 15 das forças armadas, 23 do transporte coletivo, rodoviário, passageiros urbanos e de longo percurso e três trabalhadores portuários.

"É essencial ficar atento ao intervalo necessário entre as aplicações das vacinas contra a Covid-19 e da Influenza que é de, no mínimo, 14 dias entre as aplicações", afirmou a secretária de Saúde, Claudia Cristina de Deus.