Com a presença da variante, governo avalia vacinação

O governo de São Paulo afirmou ontem que a variante Delta, originária da Índia, circula no Estado. De rápida disseminação, essa variante já pressiona o governo paulista a reavaliar o intervalo de três meses entre doses de vacinas aplicadas no Estado, como os imunizantes da Pfizer e da AstraZeneca.

"Temos uma variante (Delta) que já é autóctone, ou seja, ela já está circulando no nosso meio em pessoas que não tiveram histórico de viagens ou que tiveram contato com alguém que esteve, por exemplo, na Índia, e, dessa forma, temos de ter uma atenção especial", disse o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Indagado especificamente se há transmissão comunitária da Delta no Estado de São Paulo, o secretário afirmou: "Quando nós identificamos um paciente que positivou para a Covid-19 sem nenhum histórico de viagem ou contato com alguém que veio de alguma área em que aquela cepa seja mais prevalente, claramente ele recebe a denominação de autóctone, comunitário." (E.C.)